Por Cris Marques
Fotos: Arquivo pessoal e banco de imagens

O carnaval já passou e, apesar dessa ser a época do ano na qual os tutoriais de customizações mais pipocam na internet, justamente pela possibilidade de transformar um simples abadá – roupa usada para ter acesso a micaretas e camarotes – em algo diferenciado, essa moda vai muito além dos bloquinhos. De rasgos nas calças jeans a aplicação de spikes, passando pela transformação completa de uma simples camiseta de algodão até a reforma de uma peça que não é mais usada, a técnica chama a atenção, pois permite criar um visual único, criativo e totalmente personalizável.

Juliana Sena, consultora de estilo pessoal e blogueira do El Ropero, conta que customizar vestimentas não é algo recente. “Se formos analisar a história, desde a pré-história o homem já possuía ‘esse dom’. Com a necessidade de se cobrir para se proteger do Sol, da chuva ou do vento, nossos antepassados usavam as peles dos animais e as decoravam com os dentes deles”. Para ela, apesar de sempre presente, foi durante os anos 90 que a arte de customizar peças se destacou, de fato.

“Naquela época, cada um queria sobressair em meio à multidão e deixar sua marca registrada e, hoje, com essa década em alta como inspiração para as novas tendências lançadas, não é diferente. Customizar bolsas, calçados e jaquetas voltou com tudo. Os patches [termo em inglês que significa remendo e, na moda, aparece como um pedaço de tecido bordado e termocolante] estão aí para comprovar isso: são bem baratinhos e fáceis de encontrar, em qualquer loja de armarinhos tem, e basta usar o ferro de passar para aplicar na peça que deseja customizar”.

 

É simples, mas nem tanto

No universo das customizações, é possível, reformar peças inteiras e, mais do que habilidade, o que vale mesmo é a criatividade. Lógico que existem tutoriais bem simples, como os de tintura, que não exigem muita destreza manual, apenas paciência para esperar que a peça seque depois do tingimento, e outros mais complexos, com agulha e linha e até máquina de costura. Juliana já se aventurou na reforma de dois itens que, depois da aplicação de tachas e pedrarias, ganharam nova cara. “Tinha em casa, parada, uma bermuda com modelagem antiga, estilo pescador. Como o tecido ainda estava em bom estado, acabei optando por uma transformação. A primeira coisa que fiz foi levar em uma costureira para deixar com um comprimento mais atual. Depois fui atrás de peças para bordar, um botão novo e aplicações”. (Confira, no link, o passo a passo do processo). Ela não pensa em parar por aí. “Uma ideia que estou louca pra colocar em prática é a customização de um blazer preto com patches com minhas iniciais e mais algumas imagens bacanas, bem a cara dos anos 90”.

 

Diga não ao básico

Em uma rápida busca na internet, é possível encontrar tantos tutoriais, que difícil mesmo será escolher um deles. Os mais famosos são feitos com camisetas básicas de algodão que, depois de manipuladas, viram blusinhas com os mais diferentes modelos.
Para tentar em casa:
• Corte as mangas e a gola, uns dois dedos abaixo da costura normal da camiseta, e você terá uma regata que pode ser mais ou menos cavada, de acordo com o seu gosto;
• Corte várias tirinhas na diagonal e você terá uma blusinha de franjas. Se quiser, você também pode juntar duas tirinhas e dar um nó, intercalando até o final; assim ela fica trançada;
• Desenhe um coração nas costas e recorte; assim o vazado cria o desenho e deixa a peça mais divertida;
• Ainda seguindo a ideia acima, você pode desenhar olhos, nariz e dentes, criando a imagem de uma caveira.
#Ficadica: não se preocupe com o corte irregular, pois, ao terminar, basta puxar a camiseta com as duas mãos para esgarçar aquele pedaço; isso faz com que o tecido estique e dobre, sumindo com a rebarba.

 

Vale o clique

Confira sites e canais que ensinam, entre outros tutoriais, a customizar roupas com as mais variadas técnicas:
Ana Loureiro  Customizando  Dica da Ka • Julia C Forti • Keep Calm and DIY • Leila Ramos’ World • Mônica Pateis • Oficina da Moda

Quer ler outras matérias da edição 109 da RG? Acesse!