ACE-Guarulhos debate sobre inovadoras ferramentas de negócios com especialistas

Primeira edição do ACE Digital Day reuniu quatro palestrantes e trouxe informação sobre tecnologia e inovação nos negócios

A Associação Comercial e Empresarial de Guarulhos realizou, na noite desta terça-feira, 30/04, o 1º ACE Digital Day, meeting de tecnologia, inovação e negócios que trouxe as palestras de quatro especialistas no uso de ferramentas tecnológicas para a geração de novos negócios. O auditório da recém-inaugurada unidade de Guarulhos da Universidade São Judas ficou cheio de empresários de vários setores de atividade. Houve muita interação e trocas de experiências e os empreendedores puderam tirar diversas dúvidas durante as apresentações.

“Estava faltando um evento como esse em Guarulhos. Era para ter fila na porta, de tão bom que está isso aqui. É o tipo de evento que a gente encara três horas de trânsito para ir até a Zona Sul de São Paulo assistir a esses caras falarem. Já fiz várias anotações e mudei mentalmente minha empresa inteira durante as primeiras palestras”, comentou Nicole Souza, da 5tart Comunicação.

Para o presidente da ACE, William Paneque, o uso das ferramentas digitais nos negócios já é uma realidade e entender sobre as tendências é uma necessidade de todos os empresários. “Sem dominar os canais digitais os negócios têm grande chance de não prosperar. E fomentar conteúdo e capacitação sobre o tema foi uma iniciativa e tanto da ACE. É mais uma entrega de valor da entidade”, afirmou.

“Já passou o tempo em que ferramentas como marketing digital ou inbound marketing figuravam entre novidades próximas apenas dos empresários mais jovens. Esses mecanismos são acessíveis a todos e a ACE resolveu trazer experts no assunto para apresentar as tecnologias e os recursos para a geração de mais vendas na era da revolução digital”, apontou o diretor de Marketing da ACE, Waltinho Saavedra, que organizou o evento.

Decifrando o tal “marketing de atração”

A head de marketing da RD Station, Cibele Ferraz, foi a primeira a palestrar. Ela falou sobre “Inbound Marketing”, estratégia baseada em atrair clientes com conteúdo útil, relevante e agregando valor em cada uma das etapas de compra do cliente. “Com o inbound, clientes potenciais encontram a sua empresa através de distintos canais, como blogs, Google e redes sociais”, afirmou Ferraz.

Para ela, não importa o tamanho da empresa. O que importa é a necessidade cada vez maior de o empresário torna-la um veículo de comunicação. “Hoje é preciso influenciar antes de vender. 60% da decisão de compra de um cliente acontece antes do contato dele com sua equipe de vendas”, completou.

“Em eventos como esse a gente acaba sendo provocado. Aprendemos muitas coisas novas, mas, acima de tudo, somos provocados o tempo todo a utilizar melhor as ferramentas que já temos e conhecemos”, afirmou Ricardo França, da RF Tecnologia.

O Linkedin não é só para executivos e não tem só currículos

O jornalista Cristiano Santos, top voice Linkedin em 2018, decifrou a rede social e deu muitas dicas sobre o que fazer e também o que não é recomendado usar nesta rede social, aumentando a chance de gerar negócios através dela. “O Linkedin é uma rede viva, na qual os profissionais fazem marketing deles mesmos e podem atualizar esses cartões de visita a qualquer momento”, explicou.

Segundo ele, a rede social ainda não é utilizada com todo o poder que ela tem de ajudar as empresas e os empresários. “Muita gente ainda acha que o Linkedin é ‘coisa de executivo’ ou que só serve como banco de empregos, com vários currículos. Mas ele é muito mais do que isso. O currículo também precisa estar ali, afinal, ele diz o que você fez até aqui. Mas a plataforma serve mais para dizer o que você está fazendo agora, neste momento”, disse.

“Nós já usamos as ferramentas que foram tema das palestras, mas eu saio daqui com visões estratégicas de como utilizar melhor, tanto o inbound quanto o Linkedin”, disse a analista Vanessa Silva, do setor de comunicação da Unimed Guarulhos.

Informação vale muito

A terceira palestra foi do cientista de dados especializado em análises para o varejo Luan Azevedo, do Data Sales. Ele falou sobre como a inteligência de dados pode ajudar o empresário no dia a dia do varejo. “Os dados hoje são o novo petróleo. Quem tem informação tem tudo. Como há um movimento de se valorizar cada vez mais o que o cliente quer, a experiência dele na minha loja, sua opinião a respeito do meu atendimento, entre outras variáveis, saber o que ele pensa se tornou fundamental para qualquer empresário que queira crescer”, explicou.

Segundo Azevedo, em 2015 o varejo brasileiro desperdiçou nada menos do que R$ 11 bilhões em promoções desnecessárias, algo que poderia ter garantido melhor retorno se fosse focado nas vontades do público alvo.

As ferramentas na prática

A diretora de Marketing e Experiência da Saint-Gobain América do Sul, Vivian Marques, fechou o evento falando sobre como os desafios desta transformação digital impactam em grandes corporações, como é a Saint-Gobain, gigante francesa que, na unidade guarulhense, é especializada em abrasivos. “Não há como ser diferente, independentemente do tamanho do negócio. Pequenos ou grandes, todos precisam entender como esse mundo novo funciona, senão não sobreviverão”, apontou.

Para Vivian, que disse ter nascido em uma geração que viveu mais da metade da vida sem acesso à internet, os consumidores continuam exigindo boas experiências na hora de comprar. “O que vale é a experiência. Eu não vendo lixa. Vendo uma parede lisinha. O que mudou foi a forma como esse cliente se relaciona com as empresas. Hoje, ele tem mais voz. E fala diretamente com os dirigentes das empresas. É fundamental estar atento a essas vontades e ser cada vez mais ágil. Na Saint-Gobain, por exemplo, não temos mais uma área de TI separada, atendendo todos os outros setores. Temos uma área de Soluções Digitais em cada setor, permanente”, completou.