Água para prevenção de doenças em gatos

Por Val Oliveira
Foto banco de imagens

Assim como os humanos, os animais também estão sujeitos a toda sorte de doenças. E, também como nos humanos, ingerir pouca quantidade de água pode levar a infecções. De acordo com a médica veterinária Bárbara Benitez, os animais felinos podem adquirir a urolitíase, que é a formação de cálculos, especialmente nos rins e na bexiga. “Os cálculos são como ‘pedrinhas’ que surgem devido ao acúmulo de cristais formados pelo sal e pelos sais minerais contidos na urina provenientes da dieta. Eles podem surgir nos rins, ureter e uretra, mas nos felinos são mais comuns na bexiga. Independentemente da região acometida, as consequências são frequentemente graves”, explica.

Sintomas

Como o “bichinho” não fala, é importante prestar atenção ao comportamento. E, de acordo com a profissional, se o gatinho apresentar um ou mais sintomas listados a seguir, é hora de visitar o veterinário, pois ele pode estar com infecção urinária: “O animal fica muito tempo na posição de urinar e mostra esforço; o animal urina em gotejamento; a urina do gatinho tem sangue; ao urinar, o gatinho mia muito; o animal lambe os órgãos genitais excessivamente”, comenta.

Prevenção

Segundo ela, a melhor maneira de evitar a doença é a prevenção, na qual é preciso incentivar o gato a tomar água. Para tanto, veja algumas dicas:

  • Tenha vários bebedouros. Coloque diferentes recipientes de água pela casa. Lembre-se de trocar pelo menos uma vez ao dia, pois gatos são caprichosos, gostam de água fresca e até um simples pelinho pode fazê-los perder o interesse.
  • Escolha certa do recipiente: Escolha o bebedouro que mais se adapte ao seu bichano. Cada vasilha dá um sabor diferente à água, por isso, vá testando vários tipos e formas;
  • Refrescância garantida: Coloque pedrinhas de gelo nas vasilhas para que o seu animal de estimação tenha água sempre fresca. Os gelos também são divertidos para eles;
  • Água corrente: Os gatos amam água corrente, mas não é sustentável manter as torneiras abertas, certo? Tenham em casa bebedouros-fontes, por exemplo;
  • Quantidade de água: O consumo de água pode variar dependendo do clima e da dieta. Em animais saudáveis não há uma quantidade mínima determinada, pois, na maioria das vezes, os gatos conseguem regular a ingestão de água conforme a necessidade. Em situações em que o animal não terá a oferta de água à vontade, como, por exemplo, em viagens ou quando for ficar sozinho em casa por um determinado tempo, estima-se que a proporção seja de 1:1 água x caloria ingerida.