Albertão rechaça acusação e ataca Lobão

O Click publicou ontem matéria a respeito de citação do ex-vereador Albertão, feita pelo cantor Lobão em entrevista à revista IstoÉ. Foram enviadas mensagens a Albertão, solicitando que se posicionasse quanto à citação de seu nome por Lobão. Ele não respondeu. Porém, postou um comentário em uma publicação do jornalista Pedro Notaro no Facebook, que aqui reproduzimos:

“Alguns parcos esclarecimentos a respeito desta infâmia perpetrada pela direita, através do cantor Lobão, que tenta ter créditos, em suas muitas inverdades, com a velha história de ” que eu estava lá”. 1-Nunca fui ao Capão Redondo com esta pessoa por qualquer motivo. 2- De fato tive poucos encontros no ano de 2001, onde este me pedia ajuda para contatar rádios comunitárias para divulgar o seu disco e contatar meus amigos do grupo de rap Racionais MCs. 3-Estivemos naquela época em apenas uma rádio comunitária e em Guarulhos, tudo foi fotografado e diversas pessoas nos acompanharam, nenhuma era colombiana(um dos que estavam lá, está me enchendo de preocupação por estar hospitalizado, salve Chico Lobo, velho guerreiro pela liberdade, aí vai minha homenagem e te espero como testemunha e estes processos constumam durar anos, por isso: vida longa).4- Nunca recebi nenhum tostão das FARC-EP e, bem ao contrário, colaborei e colaboro, no pouco que posso, com a luta insurgente, sem receber nada em troca. Até mesmo as despesas com viagens que fiz, com jornalistas na cobertura do conflito colombiano, foram pagas por mim, com dinheiro de meu salário.5- Há diversos outros elementos de contradição no que está a dizer este cantor e serão apresentadas no processo que está se iniciando. 6- Sei que suas mentiras não buscam apenas me atingir, mas sim diversas pessoas e aquilo que defendo, naquilo que acredito e em minhas esperanças de um mundo justo e fraterno. 7-Quem está por detrás desta triste figura é todo um complexo de instituições de direita e extrema direita, cujo polo visivel é a revista Veja e diversos meios, que querem tomar de assalto o sistema de poder com um plano golpista recheado de covardias. E neste vale tudo nada é poupado. Nem amigos, nem valores, nem verdades, nem respeitos, nada, nada é reconhecido. A guerra é assim. Saibam , no entanto, que meu compromisso com a velha utopia sempre se manterá pois, aos 59, nem quero nem posso mudar.”

Valdir Carleto