Aproveite o novo ano para incorporar hábitos mais saudáveis à sua alimentação

O recomendado é consumir o máximo de frutas, legumes e verduras variadas - Foto: Adriana Kukla/Divulgação

Tradicionalmente conhecido por suas festas e confraternizações, dezembro também é um mês voltado à reflexão e marcado por planos para o novo ano que está prestes a começar. Perder peso, deixar de fumar, adotar a prática de exercícios e hábitos mais saudáveis estão entre as promessas mais populares.

Porém, o que muita gente parece ignorar é que a perda de peso em si, à base de dietas restritivas e realizadas sem acompanhamento profissional, não é garantia de uma vida saudável. É o que ensina a mestre em Nutrição pela Universidade de São Paulo (USP), Claudia Sanibal, que ainda alerta: “é preciso haver uma conscientização nutricional e adquirir novos hábitos alimentares”.

Além do ganho de peso proporcionado por uma má relação com a comida, estudos dos principais órgãos de saúde internacionais apontam que 95% das pessoas que eliminam os quilos indesejados com dietas “mirabolantes” voltam a engordar e, muitas vezes, atingem um peso superior ao que tinham antes.

Nesse momento é importante não levar em consideração apenas a insatisfação com a balança e lembrar-se das consequências negativas que o sobrepeso ou a obesidade podem causar à saúde.

Riscos à saúde

De acordo com o Sistema de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), uma das ações realizadas pelo Ministério da Saúde para monitorar o surgimento de Doenças Crônicas não Transmissíveis (Dcnt), como diabetes e hipertensão arterial, apenas nos últimos dez anos, houve aumento de 60% do índice de obesidade entre os brasileiros.

Para não fazer parte das estatísticas o primeiro passo é mudar a relação com a comida e não eleger alimentos “proibidos” ou “milagrosos”, como propagam as dietas da moda.

Procure consumir frutas, legumes, e verduras frescas – Foto Thiago Gomes/Agência Pará

Mudança de hábito

Introduzir mudanças que caibam na rotina e não sejam difíceis de seguir é outra dica valiosa. Um exemplo é passar a frequentar restaurantes que vendem comida a peso e oferecem uma grande diversidade de legumes e verduras.

E, em nossa região, com uma produção agrícola tão intensa, esse tipo de alimento é sempre encontrado fresco e com uma aparência agradável aos olhos. “Salada não se restringe à alface. Consumir os itens variados disponíveis no buffet ajuda a reeducar o paladar e conhecer novos sabores”, enfatiza a nutricionista.

E já que a promessa é perder de peso de forma consciente e saudável, o indicado é trocar molhos industrializados, que mascaram o sabor do alimento, além de conter sódio e demais conservantes, pelo azeite, limão e uma pitada de sal.

“Salada não se restringe à alface”, alerta a nutricionista Claudia Sanibal – Foto: Gabriel Jabur/Agência Brasília

Além da salada, se sirva de grãos integrais e carnes magras, de preferência frango e peixe grelhados. Frutas com alto teor de água, como o abacaxi, podem ser consumidas como sobremesa ou para dar mais vida e cor ao prato principal.

Comida caseira

Já para as refeições preparadas em casa, vale passar antes no mercado ou na feira mais próxima e, mais uma vez, aliar à praticidade à nova dieta e priorizar a compra de verduras e legumes já higienizados, cortados e ofertados em porções menores.

A nutricionista enfatiza que tais recursos devem ser usados para facilitar a rotina na cozinha e contribuir para a manutenção da dieta em casa. “trata-se de um exercício diário e toda ajuda é bem-vinda”, recomenda Claudia.

Para finalizar, não se esqueça da água. Além de mantê-lo hidratado, a água é fundamental para o bom funcionamento do intestino, combater a retenção de líquido, entre muitos outros benefícios.

Lanches intermediários

Frutas ricas em água, como abacaxi, melancia e melão, devem ser incluídas no cardápio de sobremesas, como opção para um lanche intermediário e inibir a vontade por chocolates e outros doces.

Frutas com alto teor de água podem ser consumidas como sobremesa – Foto Thiago Gomes/Agência Pará

Outra sugestão é ter sempre em casa, ou no local de trabalho, itens como castanhas e amêndoas ou, ainda, palitos de legumes (uma opção de menor custo) para espantar a vontade de comer algo mais calórico e não cair na tentação de consumir salgadinhos e bolachas ricas em sal.