Atendimento nas unidades de saúde gera dúvidas

Fachada do Hospital Municipal de Urgência (HMU), no Bom Clima - Foto: Divulgação/PMG

As unidades Básicas de Saúde (UBS), Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs), Pronto-Atendimentos (PAs) e Hospitais da Rede Municipal de Saúde são destinadas para diferentes tipos de atendimento médico. No entanto, munícipes de vários bairros da cidade têm dúvidas e críticas sobre qual serviço procurar quando precisam de socorro.

“Se a gente passa mal num sábado ou domingo e vai para uma UPA, os médicos dizem que ‘não têm suporte’ para atendimento. Se vamos para o Hospital Municipal de Urgência (HMU), lá não aceitam pacientes sem encaminhamento. Ficamos numa situação crítica”, disse a vendedora Maria Oliveira, 43, moradora do Jardim Santa Clara.

A Prefeitura de Guarulhos alerta que para atendimentos de urgência e emergência no HMU não é preciso encaminhamento. Porém, enfatiza que pacientes com quadros de menor gravidade devem ser encaminhados para um serviço de pronto-atendimento (UPA ou PA). E esclarece que os encaminhamentos médicos são necessários para os casos de atendimento ambulatorial – que não são de urgência – e para internações eletivas (após a alta hospitalar), quando o paciente é encaminhado para a continuidade do cuidado nos serviços da Atenção Básica e Especialidades.

Segundo a Prefeitura, cada unidade de saúde possui equipe e infraestrutura específica para determinados tipos de atendimento. Entenda como funciona:

UBSs

Nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) são atendidos os pacientes não graves. As unidades funcionam de segunda a sexta-feira e prestam os seguintes serviços:

  • Consultas médicas, odontológicas e de enfermagem;
  • Encaminhamento para atendimento especializado;
  • Coleta de Papanicolau;
  • Distribuição de preservativos;
  • Aplicação de vacinas e testes rápidos;
  • Inalação e curativos;
  • Coleta de exames laboratoriais;
  • Cuidados preventivos do câncer de colo de útero e mama;
  • Entrega de medicamentos e insumos;
  • Tratamento de tuberculose;
  • Prevenção da sífilis e HIV;
  • Verificação de pressão arterial e glicemia capilar, entre outros atendimentos.

 UPA e PA

Já as Unidades de Pronto-Atendimentos (UPAs) e os Pronto-Atendimentos (PAs) oferecem socorro de urgência e emergência 24 horas por dia, sete dias por semana. Portanto, as UPAs e PAs são indicados para dores agudas, casos de pressão e febre altas, fraturas, cortes, infarto e derrame.

Confira os serviços oferecidos em cada um deles:

UPAs: clínica médica, pediatria e ortopedia, além de exames laboratoriais, de raios-X e eletrocardiograma.

PA Dona Luíza: clínica médica, pediatria, exames laboratoriais, raios-X e eletrocardiograma.

PA Maria Dirce: ortopedia, clínica médica, pediatria, exames laboratoriais, raio-X e eletrocardiograma.

PA Paraventi: ortopedia, clínica médica, exames laboratoriais, raio-X e eletrocardiograma.

PA Alvorada: clínica médica, exames laboratoriais, raio-X e eletrocardiograma.

PA Bonsucesso: clínica médica, exames laboratoriais e eletrocardiograma. Também é referência para atendimentos 24 horas em casos odontológicos urgentes (dor intensa).

Hospitais

Os hospitais possuem UTIs e serviços de maior complexidade para a realização de cirurgias, internações e exames, e são indicados para casos como: problemas cardiorrespiratórios; intoxicação e envenenamento; queimaduras graves; acidentes com arma de fogo ou branca; crises hipertensivas; dores no peito de aparecimento súbito; acidentes e traumas com vítimas; afogamentos; choque elétrico; incidentes com produtos perigosos; surtos psiquiátricos; dores agudas; casos de suspeita de infarto ou AVC.

#SeLigaGru

Você sabe a diferença entre a UBS, UPA e Hospital? 🤔 Nesse vídeo, apresentamos informações detalhadas sobre os três atendimentos públicos oferecidos, para você não se confundir na hora de buscar uma unidade de saúde! Confere aí. 😉

Posted by Prefeitura de Guarulhos on Thursday, February 15, 2018

O funcionamento e os procedimentos de atendimento nas Policlínicas não foram esclarecidos pela Prefeitura de Guarulhos.

Despreparo também é queixa

A balconista de farmácia e moradora do Jardim Santa Clara, Rosália Bandeira, 26, aponta, ainda, falta de preparo no atendimento às pessoas alérgicas e asmáticas nos postos de saúde e UPAs. “Ou falta medicação, ou não sabem ao certo qual a medicação correta a ser receitada para uma pessoa com tantas limitações em questões alérgicas.”

Rosália relata despreparo ao comentar um atendimento recebido na UPA Cumbica. “Mencionei o fato de ser alérgica e o médico em questão passou três medicações. Em seguida riscou as três por conterem substâncias a que eu tinha alergia. Ele falou que eles não recebem pacientes com tantas limitações”, disse.

“Um pouco antes havia um rapaz reclamando de atendimento. Ele tinha um corte aberto, aguardava há mais de uma hora e não havia sido chamado ainda. Cansado de esperar foi embora (sem atendimento) tentar (socorro) em outro local. Eu passei por uma espera de mais de duas horas. E uma das medicações ainda continha uma substância que eu tinha alergia. E eu tive que tomar, pois estava com dor, não tinha outra. Depois parei numa drogaria pra comprar antialérgico, pra conter a crise de asma. Mediquei-me com remédio injetável”, complementou.

Outro lado

Questionada pelo Click Guarulhos, a Prefeitura ainda não se posicionou sobre este caso específico até o fechamento desta reportagem.

Resposta Prefeitura

“A Secretaria de Saúde esclarece que a paciente Rosália Bandeira deu entrada na UPA Cumbica apresentando dor lombar, náuseas e vômito há 2 dias, além de urina escurecida. Rosália indicou alergias por alguns medicamentos na classificação de risco, os quais não foram utilizados em seu tratamento. Foi medicada com Tramal, medicamento não citado pela paciente como alérgico. Ela permaneceu na unidade por 1 hora e 40 minutos e teve alta após uso do Tramal”, respondeu a assessoria de Comunicação nesta quarta, 2/1.