Por Tamiris Monteiro
Foto: Banco de imagens

Crescemos e carregamos ao longo da vida a ideia de que precisamos estar bem e felizes o tempo todo. E isso em parte é bom, porque ser e estar feliz é maravilhoso, mas ao buscarmos incansavelmente a felicidade, ficamos mais propensos a renegar nossos medos, angústias e frustrações e não cuidar do que nos aflige. Prova disso são as crises existenciais, que volta e meia aparecem para nos alertar sobre alguma insatisfação, como dificuldades e transtornos com a carreira, família, dinheiro e relacionamentos amorosos. Há problemas ainda maiores, como doenças e vícios, que têm forte potencial de destruição.

No entanto, assim como uma pilha, todos nós temos o lado negativo e positivo, e passar por conflitos, às vezes, é a melhor maneira de sermos empurrados para a busca de nos aprimorar para superar as dificuldades e enxergar novos caminhos. Mas, afinal, de que forma podemos nos conhecer melhor? De várias maneiras. Não existe um único caminho nem uma fórmula mágica e, pensando nisso, preparamos uma edição com sugestões que podem ajudar nessa procura por melhora e autoconhecimento.

Nas páginas seguintes, você poderá saber um pouco mais sobre terapias que auxiliam no autoconhecimento e equilíbrio emocional, passando por tratamentos mais tradicionais como ioga e meditação, que aliam corpo e mente no processo de recuperação, até possibilidades mais complexas, como o PNL (Programação Neolinguística) que busca reprogramar o cérebro para transpor possíveis limitações, e a constelação familiar, que vasculha através das gerações passadas traumas e bloqueios que se perpetuam ao longo do tempo e podem interferir no fluir da vida de um indivíduo.

 

Confira cada um dos temas abordados na capa desta matéria da RG:

O papel da psicologia, psiquiatria e psicanálise no resgate pessoal
Mente e corpo em sintonia
Reprograme sua mente
Faça o bem sem olhar a quem
Constelação familiar: a terapia de resgate do amor