Barba, cabelo e bigode

Foto de Rafael Almeida

Foi-se o tempo em que a barba e o bigode eram vistos apenas como símbolos de virilidade e maturidade, como se fossem signos que separassem os homens dos meninos. O mesmo princípio vale para o cuidado com os cabelos, que por muito tempo eram cortados para manter aparência sóbria – isso quando eram cortados. Hoje, manter impecáveis a barba ou o bigode é uma preocupação cada vez mais comum para os homens. Também, pudera: ambos vão além da aparência, pura e simplesmente, e estão para lá de relacionados com o estilo adotado pela pessoa. Uns preferem deixar a barba por fazer, pois isso transmitem ares de virilidade. Outros optam pela barba cada vez maior e espessa, o que está na moda e ajuda muito cara a fazer sucesso com a mulherada. Há quem olhe para o passado e se inspire no que já foi usado para deixar o bigode crescer.

 
Mesmo assim, por mais “estiloso” que o homem queira parecer, é necessário levar em conta a harmonização da aparência com a atividade que ocupa. Além disso, cada caso é um caso e, sendo assim, cada um tem características que ajudam ou atrapalham a adoção de determinado estilo. “É interessante a pessoa ter informações de um profissional, pois nem sempre o que ela quer pode ficar legal. O que vai bem para a pessoa A pode não ser legal para B”, explica Márcio Freoli, proprietário da Barbearia Big Boss.

 
Outro ponto a ser considerado diz respeito ao formato e traços do rosto, que influenciam no estilo a ser adotado.

 
• O formato de rosto oval é o mais amigável para se recorrer à barba, por um simples motivo: como se trata de feições mais harmônicas e simétricas, possibilita a adoção de diversos tipos de barba sem comprometer a aparência de determinada parte do rosto;
• O rosto redondo tem princípio semelhante ao oval, mas é necessário levar alguns aspectos em conta. É recomendável evitar ao máximo deixar muito volume lateral. Sendo assim, vale a pena deixar um pouco mais a barbicha e abrir o cavanhaque;
• Quando o assunto é o rosto em formato de triângulo invertido, a lateral pode ficar mais cheia, pois esse recurso permite que a face aparente estar mais simétrica;
•  O rosto quadrado requer traços mais suaves e, sendo assim, o princípio é semelhante ao do formato redondo;
•  Já o formato retangular é semelhante (é claro!) com o quadrado, mas tem mais nuances quando o assunto é a barba. Logo, o desenho a ser adotado é mais arredondado próximo à mandíbula e nas laterais, o que atenua a rigidez do rosto. Esse recurso evita o que se chama de efeito Visconde de Sabugosa, personagem do “Sítio do pica-pau amarelo”, de Monteiro Lobato.

 

Cuidando da barba
O designer gráfico Douglas Caetano, 31, começou a deixar a barba crescer há cerca de um ano. Antes, ele costumava deixar o cavanhaque, mas logo que passou a “fechar” na região próxima aos lábios, ele optou por fazê-lo. “Como o meu rosto é redondo, deixei a barba para deixá-lo menor, chegando a harmonizar com os meus traços. Acho que fica charmoso, com cara de homem, sabe? E a ‘patroa’
gosta também”, conta.
Para cuidar de sua barba, Douglas a lava com xampu infantil e enxágua com água fria. “Eu a penteio todos os dias e aplico óleo de amêndoa na barba três vezes por semana. Fiz isso por uma semana e vi diferença”, completa.

 

Fio do bigode
Apesar de remeter ao passado, o uso do bigode voltou à tona nos últimos tempos, em especial entre o público mais alternativo. Mas, afinal de contas, o que se deve levar em conta para usá-lo? É simples: o bigode ajuda a disfarçar lábios com traços finos ou que seja leporino. Além disso, trata-se de recurso que “ajuda” a envelhecer a pessoa. “Se ele tem vontade de parecer mais velho, está tudo bem em usá-lo”, destaca Freoli.

 

Deixar crescer ou cortar pela raiz?
Essa é uma questão que pode deixar o cabelo em pé. Assim como no caso da barba, o corte a ser escolhido está relacionado também com o formato do rosto. Vejamos a seguir:

• O rosto com formato redondo pede laterais mais curtas, topo mais alto e penteado para trás, pois “levanta” a expressão e afina o rosto;

• O rosto oval permite praticamente todos os tipos de cortes, pois se trata de formato mais simétrico e, como consequência, versátil;

• Os formatos quadrado e retangular pedem linhas arredondadas, com o corte penteado para frente, para esconder a quina da testa.

Poder aos negros
O corte black power vem ganhando cada vez mais adeptos entre os negros. Ao contrário do que uns e outros possam pensar, não basta apenas deixar o cabelo crescer e a mágica acontecer. Nesse caso, recomenda-se procurar por um cabeleireiro especializado nesse estilo e fazer manutenção do corte entre um mês e meio e dois meses. Ah, o corte é feito a seco e com uso de garfo específico.