Cabelos tingidos: como manter a cor

Talita Ramos

Com tantas opções de cores, tendências e técnicas, é difícil encontrar alguém que não goste de mudar a cor dos cabelos de tempos em tempos, seja para dar um up no visual ou apenas para seguir a moda. Porém, mesmo com toda a modernidade disponível no mercado da beleza, um problema que acompanha os fãs da coloração é a questão da manutenção do tom. Se o cabelo não for bem cuidado, após todo o processo, os fios ressecam, perde-se o brilho e a cor vai literalmente por água abaixo. Mas, sabendo cuidar, há solução. “Para manter a cor dos cabelos deve ser feita uma manutenção em casa, com xampu e condicionadores de alta qualidade. É também imprescindível o uso de um bom creme sem enxágue, que funcione como protetor solar, pois isso mantém a cor por mais tempo. Se a coloração foi feita no salão, procure seguir a risca a indicação do profissional e acompanhe o sistema com o mesmo produto da linha de coloração. Evite lavagens excessivas, água muito quente e enxaguar abundantemente,” explica a educadora e colorista oficial da Matrix, marca da Divisão Profissional da L’oréal, Silene Olmo.
Segundo a colorista, a mulher brasileira é a que mais lava os cabelos no mundo, por isso o Brasil é referência em tratamento de cores. “Os xampus para cabelos coloridos têm em sua proposta manter a cor e a saúde do fio. Equilibrados eles funcionam bem em qualquer cor de cabelo. Eu indico para as minhas clientes a linha Socolor Care da Matrix, por ser um sistema completo com xampu, condicionador, creme sem enxágue e máscara de tratamento, para ser usada uma vez a cada 15 dias,” conta.

O tratamento para cada cor
Sabe-se que para cada tipo de cor há um tratamento de manutenção específico. Silene explica que os tons de ruivo são sempre os mais delicados de se manter, pois desbotam facilmente, o que requer retoques com maior frequência. “A lavagem deve ser feita com produtos profissionais. O creme sem enxágue e hidratações semanais são essenciais para a manutenção da cor,” completa. “No caso dos ruivos, o retoque é mais frequente por se tratar de um tom que possui um maior desbotamento, portanto o indicado é tonalizar entre uma coloração e outra. No caso dos castanhos, o retoque mensal já é suficiente,” explica Devanete Navarro, instrutora cabeleireira do Instituto L’Oréal Professionnel.
Já para a manutenção dos tons de loiro, além da preocupação com a cor, há também uma grande preocupação quanto ao ressecamento do cabelo, pois quanto mais claro for o tom, mais agressivo pode ser para os fios. “A descoloração tende a ressecar mais os fios quando utiliza oxidantes acima de 30 volumes,” explica a também instrutora cabeleireira do Instituto L’Oréal Professionnel, Michelle Martins. Quanto à questão do desbotamento, tons de loiro pedem o auxílio de produtos de efeito matizador, para evitar que os fios passem de platinados a amarelos. “O efeito proposto por um matizador é a neutralização do amarelo. Brinco em dizer que os xampus matizadores são ‘anil de cabelo’. Em regra geral de colorimetria, quando usamos o violeta em algum tom amarelo ele é neutralizado e vira um marrom. Em casos de cabelo loiro claríssimo, o violeta tira o ‘calor’ da cor e o deixa platinado, mas esse cabelo já deve estar muito claro para poder ser neutralizado. Os xampus matizadores não clareiam o cabelo. É essencial, para quem usa esse tipo de produto, fazer hidratações semanais. Pode-se usar o matizador inicialmente para equilibrar o tom e, em seguida, usar seu condicionador de costume para nutrir, dar brilho e saúde ao cabelo,” explica Silene.

Retoque
Para evitar que os fios ressequem independente da coloração aplicada, é preciso ter um intervalo entre os retoques. “Geralmente o retoque é mensal para manter a uniformidade da cor. Em casos de tons claros ou cabelos com grande porcentagem de fios brancos o retoque pode ser realizado a cada 15 ou 20 dias,” explica Michelle. Dependendo do grau de desbotamento o profissional irá retocar apenas a raiz. “Se os cabelos estiverem muito desbotados, é preciso fazer a aplicação de cor global, ou seja, em todo o cabelo, caso o contrário basta fazer um retoque de raiz e fazer uma emulsão com coloração no comprimento e pontas dos fios, apenas nos últimos cinco minutos finais da aplicação,” comenta Devanete.

Não faça em casa
Assim como qualquer outro processo químico, não é indicado fazer a aplicação de tinturas por conta própria, seja em casa ou em qualquer outro lugar. “Quem faz a aplicação por si só corre o risco de manchar os fios, não aplicar o produto com uniformidade, fazer o preparo do produto de maneira inadequada, não respeitar o tempo de pausa, não remover o produto de forma correta e acabar não tendo um resultado satisfatório em relação à cobertura; e a uniformidade da cor,” explica Devanete. “A preparação sem medida correta, provoca manchas na coloração e prejudica a durabilidade da cor. O tempo de pausa nem sempre é obedecido. Eu sei de histórias de pessoas que aplicam a coloração e lavam depois de muito tempo. Além disso, nem sempre a cor da ‘caixinha’ corresponde a cor que a pessoa gostaria de atingir, principalmente quando se altera a altura de tom natural. Dificilmente dá certo,” alerta Silene.

Tonalizante X Tintura
Para quem tinge os cabelos com frequência é importante saber a diferença entre tonalizante e tintura. “Tonalizantes são colorações de penetração intermediária. Duram, até no máximo, sete lavagens. Não clareiam o tom natural e tem cobertura de brancos parcial. Coloração de oxidação permanece no fio; faz clareamento de até quatro alturas de tom; não sai com as lavagens, tem um leve desbotamento e cobre 100% os cabelos brancos. O tonalizante é indicado para quem começou a usar coloração agora e somente quer dar brilho ou uma disfarçada nos brancos. Já a coloração, é indicada para clareamento (loiros) e cobertura de brancos. Vale lembrar que coloração não clareia coloração. Para quem já tem alguma cor no cabelo, não acredite que usando outra por cima, vai acontecer alguma coisa. O processo de retirada da coloração é feito apenas com descolorante,” explica Silene.

Tendências
Quanto às tendências de cores para a próxima estação, o sucesso dos ruivos e acobreados do Inverno continua, acompanhado dos loiros que nunca saem de moda. “Em relação à Primavera-Verão, predominarão os tons medianos, com bases mais naturais, como castanhos e marrons, sendo que no verão os loiros virão mais discretos, com mechas mais suaves, dando mais naturalidade ao look,” conta Michelle. “Em questão de luzes o ‘Sombré Hair’, uma tendência entre as celebridades, que clareia em degradê apenas dois ou três tons do natural provocando um efeito elegante e pode ser mantido mais facilmente, promete ser uma forte tendência. Para a próxima estação, ele surge com algumas luzes vindas da raiz, o que é um pouco diferente das mechas californianas e ombré que coloriam mais as pontas em tons mais claros e deixavam a raiz sem nenhum ponto de iluminação”, finaliza Silene.