Cães e gatos podem viver em harmonia

Você já cansou de ouvir que cães e gatos são inimigos naturais? Há até o dito popular “Brigam feio gato e cachorro!”. Quem tem esses dois pets em casa sabe como essa lenda é falsa, pois a amizade entre cães e gatos é completamente possível e saudável, precisando apenas de um empurrãozinho dos tutores para eles se tornarem irmãos inseparáveis – e grandes parceiros de bagunça!

Se eles não são inimigos naturais, por que é tão difícil acostumar cães e gatos juntos? “Acontece que esses dois pets são muito apegados ao lar, ao seu espaço, e um novo animal na casa gera uma disputa de território. Além disso, a personalidade deles também é muito diferente – enquanto os cachorros são extremamente apegados, interessados em nos agradar, os felinos são independentes”, explica o médico veterinário da marca Max, Marcello Machado.

Talvez a aproximação entre cachorro e gato, a apresentação do novo amigo e os primeiros dias de convivência não sejam muito tranquilos, mas tudo vai se acalmando com o tempo. Basta ser persistente e saber lidar com os dois lados.

Como acostumar gato com cachorro em brincadeiras

Observe a idade do animal: filhotes e adultos adaptam-se de maneira diferente à disputa territorial. A técnica básica de adestramento para esse caso é a associação positiva. Sempre que apresentar cães e gatos, filhotes ou adultos, associe a interação às coisas boas: petiscos, carinhos, brinquedos favoritos e muita atenção para os dois.
“Uma forma interessante de promover a aproximação dos dois é usando o recurso das brincadeiras para cachorro e gato juntos. Esse momento sempre é muito prazeroso para nós e para os animaizinhos; por isso, é boa estratégia criar atividades que proporcionem diversão para ambos”, sugere Marcello.

Passeio e brinquedos para pets

Os brinquedos para pets sempre fazem sucesso com cães e gatos. Apesar de terem gostos diferentes, a curiosidade é um ponto em comum e podem descobrir a diversão juntos, com um acessório novo.

Apostar em brincadeiras em lugares diferentes, como parques, também é uma boa pedida. Mas é importante que esse passeio aconteça em um segundo momento e não na apresentação, pois os gatos não se sentem muito seguros em ambientes desconhecidos. Por isso, ao colocar em prática essa atividade, tenha muita atenção ao comportamento do gato. Se senti-lo inseguro, aborte os planos e volte para casa. Para que os animais tornem-se amigos, eles precisam estar seguros, felizes e sentirem que não perderão o amor do tutor.

Cão e o gato filhotes

A apresentação será mais fácil, pois os dois filhotes estarão conhecendo o ambiente e um ao outro ao mesmo tempo. Eles vão crescer e aprender juntos, enxergando-se como irmãos. Não será preciso preocupar-se com um deles se machucando, pois os filhotes de gato e cachorro entrarão em brincadeiras próprias e aprenderão a se respeitar e a se defender, buscando um limite juntos. A supervisão é essencial nas primeiras interações, mas o ideal é que os bichinhos construam a própria relação. Mas, atenção: a responsabilidade com dois filhotes é dobrada, e a introdução à casa irá requerer cuidados, disciplina, atenção e adestramento para ambos.

“Tenho um gato e vou levar um cachorrinho para casa”

Gatos são naturalmente mais independentes e menos interativos que os cães, e podem não aceitar facilmente o novo amiguinho. Tudo irá depender da personalidade do gato, que pode ser mais reservado ou brincalhão. Porém, todo gato preza pelo seu espaço; por isso, a apresentação ao novo cão deve ser feita com calma. Antes de tudo, é fundamental checar se as unhas de ambos estão aparadas, para evitar que se machuquem em possíveis conflitos.

Uma sugestão é deixar o gato sentir que está no controle da situação, vindo dar “oi” ao cão quando quiser. É bem provável que ele vá se esconder no primeiro momento, mas a curiosidade o fará se aproximar. Nesse primeiro contato, segure o cão na guia, se for adulto ou nas mãos, se for filhote. É que os cães são muito afobados, e podem assustar. Em tempo: gatos não gostam que o cheirem, primeira coisa que o cão faz ao conhecer outro animal.

Evite brigas entre eles: dê a mesma atenção ao gato e ao cachorro para não causar ciúmes.

“Tenho um cachorro e vou levar um gatinho para casa”

Antes de levar um gato para casa, considere a personalidade do seu cãozinho: ele é muito ciumento, territorialista ou agressivo? Se a resposta for sim para alguma das opções, pode ser necessário reconsiderar ou planejar a chegada do novo animalzinho contratando um adestrador para garantir que seu cão tenha limites, educação e respeito, e que você seja capaz de controlá-lo se for necessário.

O truque para introduzir o novo pet ao seu cão é garantir que ele continuará recebendo a mesma atenção e carinho de sempre, e evitar repreendê-lo durante a apresentação, para gerar uma associação positiva. O início da relação deve ser supervisionado, mas o mais provável é que o cão adote o gatinho e cuide dele como seu filhote.

Caso os dois animais sejam adultos, os cuidados e a paciência na apresentação terão de ser redobrados. É preciso deixar o gato se acostumar com o tutor e com o ambiente, separado do cão por alguns dias. Quando se conhecerem, um já terá sentido o cheiro do outro, e a apresentação será mais fácil!