Cai liminar e Gerir continua administrando hospitais municipais

Fachada do Hospital Municipal de Urgência (HMU), no Bom Clima - Foto: Divulgação/PMG

O presidente do TRT-SP (Tribunal Regional do Trabalho), desembargador Wilson Fernandes, derrubou nesta quarta-feira a liminar de primeira instância do juiz Renato Luiz de Paula Alves, da 3ª Vara do Trabalho de Guarulhos, que determinara que em 20 dias cessasse a prestação de serviços do Instituto Gerir a três unidades de atendimento de saúde em Guarulhos: HMU (Hospital Municipal de Urgências), no Bom Clima, a Policlínica Paraventi e o HMDCA (Hospital Municipal da Criança e do Adolescente), no Centro.

Essa nova decisão deve prevalecer até o julgamento do mérito da ação movida pelo Stap (Sindicato dos Trabalhadores na Administração Pública) de Guarulhos. Com isso, evita-se o impasse que seria criado com a interrupção do contrato entre a Prefeitura e o Gerir, o que poderia causar grandes transtornos à população atendida nesses três locais.

O Gerir é uma empresa de Goiás, que atua também em outros estados e foi contratada pela gestão do prefeito Guti para suprir de imediato carências no atendimento, que o poder público teria mais dificuldades para resolver.

No HMU, diversos investimentos foram feitos, ampliando a área de espera para atendimento. Embora ainda haja queixas quanto a demora para obter internações, além de questões como falta de insumos, o Click Guarulhos colheu informações na Hiperfarmac, farmácia vizinha ao HMU, de que é incomparável o número de receitas aviadas atualmente, o que demonstra que aumentou de forma significativa o número de pacientes atendidos diariamente nesse hospital municipal.