Casos de dengue crescem mais de 7.000 % em um ano; Recreio São Jorge é o bairro mais afetado

Pessoa é picada por mosquito Aedes; espécie pode transmitir chikungunya, dengue e zika vírus - Foto: NIAID

Dados atualizados da Secretaria de Saúde do município apontam que entre o início de janeiro até 19 de junho deste ano foram confirmados 5.082 casos de dengue em Guarulhos. Se comparado com o mesmo período do ano passado, quando houve 64 casos, o número da doença aumentou 7.485%. Segundo a Assessoria de Imprensa da Saúde, “sem nenhum óbito até o momento, sendo o Recreio São Jorge o bairro com maior incidência da doença, com 549 casos”.

Como a incidência da doença é alternada, com dois anos seguidos de baixa e outros dois de alta, 2018 e 2019 está exatamente nessa transição, o que explica o amento alarmante, porém não deve reduzir as ações de combate ao mosquito Aedes aegypti.

Até o dia 31 de maio a Prefeitura teve o apoio de soldados da Força Aérea Brasileira no combate aos focos do mosquito. Agora, de acordo com outra parceria firmada, a ajuda virá do Exército, por meio do Tiro de Guerra, que atuará em julho com ações de combate à dengue.

Segundo a Prefeitura, “a população deve fazer a sua parte, vistoriando com frequência a casa, para eliminar toda água parada, lembrando que os criadouros podem estar em tampas de garrafas, garrafas vazias, ralos e vasos sanitários sem uso frequente, bandeja da geladeira, ar condicionado e filtros de parede. Além disso, deve vedar as caixas d’água com tampas; não acumular água em recipientes; eliminar a água dos pratos de vasos das plantas; não acumular água nos pneus.”

De acordo com especialistas, é durante as épocas de chuva que a proliferação do mosquito é mais propícia. Por isso a população deve redobrar a atenção para não manter em casa possíveis criadouros do mosquito Aedes aegypti.

Os cuidados devem estar presentes no cotidiano, por meio de ações individuais, como evitar acúmulo de água em vasos e pneus, utilizar repelente, colocar areia em vasos, entre outras ações preventivas.

Sintomas das doenças causadas pelo mosquito Aedes aegypti

A prevenção ao mosquito Aedes aegypti é a única forma de combater as doenças como dengue, zika e chikungunya. Abaixo o infectologista e médico cooperado à Unimed Blumenau, José Amaral Elias, informa sobre os principais sintomas:

Dengue: febre alta; dores nos músculos, articulações, olhos e costas; manchas vermelhas pelo corpo; náuseas e diarreia; vômito, dor abdominal intensa e tontura.

Chikungunya: febre alta; inchaço nas articulações e dores intensas que dificultam atividades rotineiras e manchas vermelhas pelo corpo com coceira intensa.

Zika Vírus: febre leve; olhos vermelhos e sensíveis à luz; dores nas articulações e coceira intensa pelo corpo.

Os sintomas são similares e podem ser diagnosticados por intermédio de exames específicos como: hemograma, AST, ALT, sorologias IgG/IgM, glicose, ureia, creatina, eletrólitos, entre outros.

“Atente-se! A dengue é um dos principais problemas de saúde pública no mundo. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que entre 50 a 100 milhões de pessoas se infectem anualmente com a doença em mais de 100 países de todos os continentes. Com pequenos gestos, é possível se prevenir da doença”, informa o infectologista. 

Cuidados e prevenção de combate ao Mosquito

O infectologista ressalta os cuidados necessários para evitar a contaminação e proliferação do mosquito Aedes aegypti. Confira as dicas e se cuide!

Dentro de casa:

– Tampe os tonéis, caixas d’água e lixeiras;

– Mantenha as calhas e ralos sempre limpas e com aplicação de tela;

– Deixe garrafas sempre viradas com a boca para baixo;

– Limpe semanalmente ou preencha pratos de vasos de plantas com areia;

 – Limpe com escova ou bucha os potes de água para animais;

– Retire água acumulada na área de serviço, atrás da máquina de lavar roupa;

– Mantenha ralos fechados e desentupidos;

– Dê descarga no mínimo uma vez por semana em banheiros pouco usados e mantenha fechada a tampa do vaso sanitário.

Áreas externas:

– Cubra e realize manutenção periódica de áreas de piscinas e de hidromassagem;

– Limpe ralos e canaletas externas;

– Atenção com bromélia, babosa e outras plantas que podem acumular água; Deixe lonas usadas para cobrir objetos bem esticadas, para evitar formação de poças d’água;

– Guarde garrafas com o gargalo virado para baixo e mantenha lixeiras tampadas;

– Lave com escova os potes de comida e água dos animais no mínimo uma vez por semana;

– Evitar acumular entulho, pois ele pode se tornar local de foco do mosquito da dengue.

Caso viva em locais onde ocorra surto das doenças siga as recomendações

Utilize telas em janelas e portas, use roupas compridas – calças e blusas – e, se vestir roupas que deixem áreas do corpo expostas, aplique repelente nessas áreas.

*Com informações da Presse Comunicação Empresarial