Cinco lugares do mundo para curtir um Ano Novo inesquecível

Por Tamiris Monteiro
Fotos: banco de imagens

Copacabana, Rio de Janeiro

Não tem como falar em Ano Novo bonito sem se lembrar da queima de fogos que acontece no Rio de Janeiro. Não é à toa que gente do mundo todo vem ao Brasil para assistir o espetáculo. Calcula-se que mais de dois milhões de pessoas, a maioria vestida de branco, ocupam quatro quilômetros de orla e fazem do réveillon um dos mais apreciados do mundo.

Times Square, Nova York

Desde 1907, uma bola de cristal de doze metros de diâmetro e com mais de cinco toneladas desce do edifício One Times Square e atinge seu ponto final exatamente à meia noite. Todos os anos, o espetáculo é visto por um milhão de pessoas que ocupam a região e, além da esfera, há a queima de fogos, shows com celebridades e muitos bares e boates nos arredores ficam abertos para reforçar a comemoração

Porto de Sydney, Austrália

O grande show pirotécnico acontece na Baía de Sydney, com fogos de artifício disparados de balsas, edifícios e da Sydney Harbour Bridge, um dos cartões-postais da cidade. O espetáculo tem duração de 12 minutos, mas não é tarefa simples acompanhar o espetáculo, isso porque as pessoas chegam ainda de manhã no dia 31 e praticamente “acampam” durante o dia todo em algum ponto estratégico da cidade. Nos arredores da Circular Quay estão os pontos mais disputados.

London Eye, Londres

Há centenas de festas em Londres, porém, a mais popular e procurada é a da London Eye. Mas também é preciso chegar cedo ao local para garantir uma boa visibilidade. Os pontos que garantem vista privilegiada são a Victoria Embankment, ao norte do Tâmisa, e as pontes de Waterloo e Westminster.

Barcelona, Espanha

Não há uma queima de fogos expressiva como no Brasil, mas no lugar da pirotecnia acontece um show de luzes na Torre Agbar. Por lá a celebração é mais marcada também por jantares em família e as pessoas seguem para festas depois da virada. Parte se concentra na praça Catalunya para acompanhar os festejos. Uma forte tradição do País é comer doze uvas quando chegar à meia-noite.