Fogueira, bandeirinhas, música, quadrilha, comidas deliciosas e muita animação: assim são as festas juninas aqui no Brasil, certo? Mas quem acha que a festa nasceu em terras tupiniquins, engana-se. Criada pelos camponeses europeus para celebrar o início do Verão, a comemoração popularizou-se em nosso País durante a colonização portuguesa. As festas juninas, porém, existem em outras partes do mundo. Claro que cada povo comemora do seu jeitinho, mas, em sua maioria, os países também enaltecem os santos católicos.

Portugal

Nas cidades de Porto e Braga, o registro mais antigo desse tipo de festa vem do século XIV. Além do lançamento de balões de ar quente e dos arraiais com música e comida que acontecem em diversos bairros da cidade até a madrugada, uma das tradições da festa consiste em bater na cabeça das pessoas com alho-poró ou com martelinhos de plástico. As mulheres costumam passar os ramos de erva-cidreira no rosto dos homens. Esse costume está ligado a festivais da fertilidade anteriores à cristianização da festa.

Porto Rico

Para quem não sabe, São João é o patrono do estado de Porto Rico e que dá nome à sua capital. Por isso, a festa é bastante celebrada na ilha. Um dos costumes para “afastar a má-sorte” é o de se jogar de costas no mar três, sete ou até doze vezes à meia-noite ou então banhar-se com rosas. Este costume foi inspirado no próprio São João, que realizava batismos no rio Jordão, e que hoje tem o significado de deixar o mar levar tudo o que há de ruim e começar uma vida nova. As praias ficam lotadas durante essa noite, com direito a muita música e comida.

Peru

O país é muito ligado à cultura e aos costumes de seus antepassados. Lá, são os rios da selva peruana que recebem as pessoas para o baño bendito no Dia de São João. Come-se o Juane, um preparado de arroz, ovos, azeitonas, coxa de frango e chicória, tudo envolvido em folhas de uma planta chamada bijao, resultando em um formato redondo que remete à cabeça de João Batista. Em Iquitos, o baile, que acontece após a missa e a procissão, se realiza ao redor de uma palmeira carregada de presentes, chamada de Humisha.

Rússia e países eslavos

A água também tem um papel principal nas festividades de Ivan Kupala, que acontecem na Rússia, na Ucrânia, na Bielorrússia, na Polônia e na Lituânia. O nome foi uma combinação de Kupala, uma festa pré-cristã da fertilidade, e Ivan, João em russo. Como a palavra “Kupala” significa “banho”, o nome completo da festa pode muito bem ser interpretado também como João Batista – aquele que batiza. As garotas jogam guirlandas de flores na água e pulam fogueiras, sozinhas ou acompanhadas. O banho nu também é comum. As crianças brincam de guerrinha da água e fazem pegadinhas para jogar água em adultos.

Canadá

O Dia de São João Batista é considerado feriado nacional no Quebec, a província canadense de língua francesa. Inicialmente vinculada à religiosidade católica que distinguia os canadenses, a festa alcançou uma grande escala e se tornou uma festa de identidade quebequense. Popularmente mantém o nome de Saint-Jean e as fogueiras permanecem presentes – geralmente mais de 300 espalhadas pela província –, bem como shows, desfiles e fogos de artifício.