COITADO DO VERBO FAZER!

Ontem foi Dia de Finados e não sei se alguém levou flores ao túmulo do verbo FAZER.
O coitadinho morreu de inanição, porque atualmente as pessoas se esqueceram da existência dele. Agora, tudo é REALIZAR.
Não sei se estas observações podem ser úteis a quem irá prestar o exame do Enem, mas eu não me conformo com a generalização que fazem do uso do vergo realizar.
Realizar é tornar real algo que estaria no campo da imaginação, do sonho. Fazer uma viagem acalentada por muitos anos é a realização de um sonho.
Até concordo quando o utilizam para referir-se a algum evento. Afinal, ele deve ter sido planejado e, ao ser efetivamente feito, está sendo realizado.
Discordo quando o usam para atitudes corriqueiras, tarefas comuns. Exemplos do que entendo uso indevido do verbo realizar:
 
“A Prefeitura realizou limpeza nas ruas por onde passou a manifestação”
 
“A dona de casa foi ao supermercado realizar compras”
 
“A CET está realizando desvio do tráfego, devido ao acidente”
 
 
Pior ainda quando juntam isso ao uso desnecessário do gerúndio:
 
“Dona Maria vai estar realizando a faxina do salão para a festa”
 
 
Sei que muita gente vai estar me criticando por eu estar realizando esta postagem. Mas, quem quiser realizar comentários pode realizá-los à vontade.
 
(alerta: esse último parágrafo está carregado de ironia)
Valdir Carleto