(publicada na Folha Metropolitana desta sexta-feira)

JEITINHO BRASILEIRO
A Constituição de 1988, em seu artigo 167, estabelece que o Executivo só pode aumentar sua dívida para fazer investimentos em obras ou compra de equipamentos. Dessa forma, o governo Temer estaria com pés e mãos atados para aumentar despesas. Porém, ao votar a Lei de Diretrizes Oçamentárias para 2019, o Congresso deu um jeito de facilitar as coisas para o atual mandatário: incluiu uma brecha que permitirá ao sucessor envie uma proposta suplementar de verbas para cobrir o rombo no Orçamento. Assim, seja quem for a próxima vítima, herdará esse abacaxi da atual gestão.

JEITINHO BRASILEIRO – 2
A Comissão de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados livrou a cara de dois coleguinhas: os integrantes não veem problema em condenados, mesmo que estejam cumprindo prisão, exercerem seus mandatos. João Rodrigues (PSD-SC) cumpre 5 anos e 3 meses em regime semiaberto, porque quando foi prefeito interino de Pinhalzinho (SC), em 1999, comprou uma retroescavadeira sem licitação. Já Celso Jacob (MDB-RJ) quando era prefeito publicou uma Lei acrescentando um artigo que não havia sido votado pela Câmara Municipal. Como os delitos foram cometidos quando ainda não eram deputados, a Comissão entendeu que não pode puni-los.

TUDO EM CASA
O relator do projeto que analisa a flexibilização no uso de agrotóxicos, o deputado federal Luiz Nishimura (PR-PR) é sócio de duas empresas de Marialva (PR) que produzem sementes, fertilizantes, defensivos agrícolas e fitossanitários, nome simpático que criaram para suavizar o termo agrotóxico. É esse o Brasil que você quer?

QUEM TEM CHANCES?
O páreo para quem quer disputar as eleições para deputado federal neste ano não será fácil. Estive ouvindo observadores da cena política, de diversos espectros, para tentar tirar uma média sobre as chances dos pré-candidatos de Guarulhos à Câmara dos Deputados. No lado do PT, o embate entre Elói Pietá e Alencar Santana, a julgar pelos apoios obtidos, dá vantagem ao atual parlamentar estadual, embora, pelo histórico e popularidade, o ex-prefeito tenha um interessante recall. Agora pelo PDT, Almeida encontra dificuldades porque está sem grana para conquistar aliados, ao contrário da fama que as redes sociais lhe atribuem. Na ala do DEM, as chances seriam maiores para Eli Corrêa Filho, porque Jorge Tadeu perdeu o apoio da Igreja Mundial, ainda que ele tenha se aproximado de outras denominações. A supremacia financeira da família de Eli é outro ponto a seu favor. Com apoio do prefeito Guti, Eduardo (ex-Soltur) costurou alianças em várias cidades para se viabilizar. Só com os votos de Guarulhos, seria complicado. Fatalmente, outros partidos também lançarão candidatos e nomes de todo o Estado buscarão e terão votos por aqui.

Valdir Carleto