Coluna do Carleto – 19/04/2019

14 mil buracos

O prefeito e auxiliares tiveram um bate-papo com a Imprensa na segunda-feira, para falar do plano emergencial de tapa-buracos. A ação conjunta envolve a Prefeitura, Proguaru e Sabesp/Saae. Na Proguaru, a tarefa está a cargo do assessor Bruno Gersósimo. A Sabesp atuará na solução dos problemas decorrentes dos consertos de vazamentos e instalações.

O que está previsto

A cidade foi mapeada e dividida em nove áreas. Uma equipe vai atuar em quatro delas e outra, em cinco. Parte da força-tarefa começou em Bonsucesso e outra no Parque Continental. Em alguns locais, a ação levará quatro ou dez dias, em outras, como o Centro expandido, 37 dias. Ao todo, foram fixados 100 dias para devolver as ruas de Guarulhos em condições aceitáveis de trafegabilidade. São, em média, 140 buracos por dia, meta ambiciosa, mas bem possível de realizar. Casos mais graves serão resolvidos fora do cronograma previsto.

Campanha da Prefeitura

Está sendo veiculada campanha publicitária da Prefeitura de Guarulhos. Elaborado pela Hold Comunicação, agência de Ribeirão Preto que venceu a licitação, o vídeo afirma que não se trata de uma propaganda de mentira, mas para prestar contas do que vem sendo feito.

Dívida

A mensagem afirma que em dois anos foram pagos R$ 4 bilhões de dívidas. É fato que parte preponderante desse valor se referia à Sabesp, que assumiu a operação do Saae na cidade.

Bola dentro

Sem dúvida, a atitude de transferir o Saae para a Sabesp foi a mais corajosa e acertada da atual Administração.

Sinceridade

No vídeo, a gestão Guti admite que a Saúde ainda não está como deveria. Sem dúvida: elevado percentual das queixas da população diz respeito a deficiências no atendimento. É de se ressaltar que parte do problema deve-se à dificuldade de manter médicos nos quadros da Prefeitura. Vários dos que aceitaram participar do programa Mais Médicos já pediram para sair. E foi iniciada contratação emergencial de profissionais.

Passo em falso

A desativação do P. A. Paraíso para transformá-lo em UPA, sem que fossem iniciadas logo as obras, foi, certamente, uma atitudes que mais pegou mal para a gestão Guti, ainda que os recursos humanos e materiais tenham sido úteis para pôr a unidade de Cumbica em funcionamento, e mesmo com a inauguração da UPA Paulista, pois a população que era atendida na região do Taboão não se vê contemplada nesses outros locais.

O quê buscar onde?

Um problema que persiste é que os usuários não sabem qual tipo de unidade de saúde procurar em cada caso. O que é agravado com a falta de médicos no serviço de atenção básica. Isso acaba lotando a Policlínica e o HMU, por exemplo. O Hospital da Criança está sempre com intenso movimento. Dias atrás, caiu parte do forro de gesso na área de espera, o que também gerou queixas.

Reação

Felipe Alves Ranghieri (foto), que foi exonerado do cargo de assessor do prefeito Guti, esclarece nota publicada pelo jornalista Pedro Notaro, na coluna Reticências…, quinta-feira. Segundo ele, embora não ocupe mais cargo na Prefeitura, continua amigo do prefeito e ajudando a Administração: “Não só a ele, mas sim à cidade onde vivo e às pessoas que nela ali habitam!”. Felipe dá a entender que exercerá função em outra esfera de poder: “Estarei indo para fora da cidade, trazer mais recursos e investimentos para nosso município, que precisa muito”, completou.