Coluna do Carleto – 19.07.2019

Perseguição policial e troca de tiros deixa quatro mortos na Via Dutra — Foto: Reprodução/TV Globo

Reação popular

Postamos na quinta-feira notícia a respeito da morte de quatro pessoas, que estavam em um veículo que foi alvo de perseguição policial, desde o bairro paulistano do Tatuapé, até o km 214 da rodovia Presidente Dutra. No texto, citamos os falecidos como “suspeitos” e “supostos bandidos”. Nos comentários, quase todos os comentários foram de elogios aos policiais e alguns internautas nos criticaram por entenderem que teríamos sido benevolentes com os ocupantes do carro.

Não é bem assim

A perseguição começou porque o veículo foi identificado como um que teria participado de um crime. Testemunhas afirmam que no início eram três viaturas, mas que muitas outras somaram-se à ação. “Nunca vi tantas viaturas juntas”, informou um internauta. No final, um pneu do veículo estourou e, segundo relato da Polícia, os ocupantes desceram atirando; na troca de disparos, os quatro morreram. Até a publicação da notícia, sequer se sabia os nomes dos mortos. Nós, como jornalistas, não podemos afirmar que se tratava de bandidos, tendo apenas como fonte uma das partes.

Dever profissional

Digamos que se tratasse de um carro utilizado em aplicativo de corridas e que apenas o motorista tivesse algo a ver com o crime anteriormente praticado e os demais fossem passageiros. Ou que apenas um dos ocupantes nada tivesse a ver com nenhum delito. Fatalmente, seríamos processados pelas famílias. Então, não se trata de proteger bandidos como foi insinuado, mas de tomar a devida cautela profissional para não incorrer em grave erro.

Protagonismo político

Com o slogan “Guarulhos é meu partido”, grupo capitaneado pelo vice-prefeito Alexandre Zeitune reúne membros do Pros, Rede e Solidariedade, afirmando que tem o objetivo de formar um movimento suprapartidário capaz de identificar o pensamento do guarulhense sobre a cidade, e que superaram divergências, em nome das muitas convergências de propósitos. Pelo jeito, as eleições municipais de 2020 terão muitos grupos sonhando em conquistar a Casa Branca do Bom Clima.

Paneque bem na fita

O novo titular de Desenvolvimento Econômico (Sdceti), William Paneque, representou o prefeito Guti na reunião semanal da Asec (Associação dos Empresários de Cumbica). Um dos participantes comentou comigo que o secretário é mais simpático do que seu antecessor, Rodrigo Barros. Reconheceu, entretanto, que foi importante o papel dele para aproximar o empresariado local do governo municipal, abrindo portas para o encaminhamento das reivindicações da região, que são muitas.

Eu não iria

O jornalista Pedro Notaro publicou que o vereador em exercício Geraldo Celestino informou que o prefeito Guti foi convidado a ingressar no PSDB. Considerando que o comando do partido está nas mãos da empresária Fran Corrêa, que é pré-candidata à Prefeitura, com apoio do governador João Dória, se fosse eu, não correria esse risco. Se Guti cair nessa armadilha, com a gana que Dória está dele, por ter apoiado ostensivamente Márcio França, é muito provável que fique sem legenda para concorrer. Aliás, os vereadores tucanos afinados com a atual gestão municipal terão algumas noites sem dormir até definir-se para 2020.

Concurso na mira do MP

Notaro também divulgou que o Ministério Público investiga suposta falta de segurança na aplicação das provas do concurso público para inspetor fiscal da Prefeitura de Guarulhos. Nem brinque! Teve gente do Brasil todo concorrendo. Está mais difícil obter uma vaga dessa do que entrar na medicina da USP! Já pensou se esse concurso tiver de ser refeito?