Coluna do Carleto – 21.06.2019

Quem se habilita a dar uma força?

A equipe mirim de futsal da Escola Estadual Prof. Cyro Barreiros, do Jardim Lenize, sagrou-se campeã da região metropolitana dos Jogos Escolares. Por isso, em agosto as meninas guarulhenses disputarão a fase estadual, representando a Grande São Paulo. Para isso, no entanto, elas precisam obter dois jogos de camisas, com o nome da escola e da cidade nas cotas. Ah! É preciso também que os pais autorizem que as garotas possam viajar a Bauru e assim, tomara, trazer o caneco e disputar o nacional, representando o Estado de SP.

Campeonato do Saber

Enquanto há professores e diretores de escola que se queixam, quase sempre com razão, da falta de boas condições para trabalhar e também da falta de respeito de alunos e até das famílias, há outros que conseguem superar todas as barreiras e ir além da sala de aula, motivando os alunos e obtendo bons resultados. É o que acontece na E.E. Francisco Milton de Andrade, no Parque Continental III, com o Campeonato do Saber, lançado há seis anos pelo professor Edson Oliveira.

Multitarefas

São várias as tarefas que os alunos cumprem, envolvendo diversas disciplinas e atitudes de cidadania. Um grupo de jurados atribui notas às apresentações, em dois dias de saudável competição, segunda e terça-feira.

Escritores homenageados

Neste ano, uma das tarefas era pesquisar sobre seis membros da Academia Guarulhense de Letras. Foram expostas biografias de Adolfo Vasconcelos Noronha (falecido, e um dos fundadores da AGL), José Augusto Pinheiro, Silvio Ribeiro, Teresinha Maltez, Antonia Conceição Vaz Duarte (atual presidente) e a deste colunista (atual vice-presidente). Em um vídeo no Facebook, reproduzi o teor de minha mensagem aos alunos participantes do Campeonato do Saber.

Passou no SPTV

O certamente foi pautado pelo telejornal da Globo na hora do almoço, na segunda-feira, e repercutiu muito positivamente.

Péssimo hábito

Alguns alunos de escolas públicas adquiriram um péssimo costume de alguns anos para cá: no último de aula do ano, arrancam as páginas dos cadernos e as jogam nas ruas, como se nunca mais lhes fossem úteis. Agora, piorou: postei vídeo no Facebook nesta semana, mostrando que fizeram isso nas imediações da E. E. Lydia Kitz Moreira, no Jardim Santa Cecília. Além de agredir o meio ambiente, é um gesto de desprezo à educação, que é a base de tudo, para que o Brasil possa vir a se transformar, de fato, em uma Nação.

Providências

A dirigente de ensino Guarulhos Norte, professora Vera Lúcia de Jesus Curriel, endossou a crítica à atitude e prometeu conversar com a direção da escola, para que oriente os alunos a não mais fazer isso. No dia seguinte, as folhas pelo menos não voavam mais pelas ruas vizinhas. Alguém da escola deve tê-las recolhido.

Cadeiras quebradas

Muitos espectadores se queixando de cadeiras quebradas no teatro Adamastor, por ocasião do showzaço de Almir Sater, na quinta-feira. O cantor e compositor ficou encantado com a receptividade do público guarulhense. O diretor de Cultura, Adalmir Abreu, estava presente. Teve sorte de não ser tão conhecido. Se não, certamente seria cobrado pela situação das cadeiras. Com a grana que entrou da participação da Prefeitura na bilheteria deve ser possível dar um trato.

Reestruturação da Câmara vetada pelo prefeito

Como já se cogitava nos bastidores, o prefeito Guti vetou a reestruturação votada e aprovada pela Câmara Municipal, que criava vários cargos no Legislativo. Desde que anunciada, a mudança vinha sendo criticada nas redes sociais, pois tanto se fala em reduzir gastos públicos e, na prática, acontece o contrário. Já se preparando para disputar a reeleição, Guti não quer saber de bater de frente com a opinião pública: preferiu vetar.

Veto do prefeito derrubado pela Câmara

Com apoio do próprio líder do Governo no Legislativo, vereador Eduardo Carneiro (PSB), a quase totalidade dos vereadores votou pela derrubada do veto do prefeito, promulgando a lei que cria a reestruturação.

Do contra

Desgostosa com o andar da carruagem na bancada petista, a vereadora Janete Pietá preferiu votar contra o veto, ou seja, a favor de Guti. De quebra, fez pirraça a Eduardo Carneiro, por ter se sentido ofendida com uma fala dele recentemente.

Tem de ter uma boa explicação

Vereadores João Dárcio, Jesus e Eduardo Carneiro; atrás, o diretor de Comunicação, Rodrigo Souza

Chamuscado com o episódio e buscando limpar a barra perante as críticas das redes sociais, o presidente da Câmara, Prof. Jesus (sem partido), concedeu entrevista, explicando os motivos pelos quais a reestruturação precisa ser feita. Segundo ele, mesmo com o reajuste previsto e com a ascensão na carreira, o gasto com pessoal não chegará perto do limite determinado pela Lei de Responsabilidade Fiscal e os cargos serão preenchidos por concurso. Já Eduardo Carneiro justificou a decisão de defender a derrubada do veto: “A gente precisa evoluir, profissionalizar e valorizar os profissionais. É preciso ter muito cuidado ao falar de economia da Câmara não precarizar a atividade parlamentar. Precisamos melhorar sim e é isso que o projeto fez.”

Assistente social e psicólogo na Câmara?

Questionada a criação de cargos de psicólogo e assistência social, funções mais características do Executivo, a resposta foi de que é preciso contar com apoio técnico para a Procuradoria da Mulher, para atender as demandas e acolher as que tenham sido vítimas de violência.

Tá tudo bem!

Ambos minimizaram o fato do prefeito ter vetado e da Câmara derrubar o veto. Disseram que isso é próprio da Democracia e que a relação do Legislativo com o Executivo continua sem nenhum problema. Carneiro citou a aprovação de projetos que estavam na pauta há anos, como a questão da Sabesp e do Regime Próprio do funcionalismo.

Ação entre amigos

Tudo leva a crer que o veto e a derrubada foram combinados entre os dois poderes. Guti sai bem na fita por vetar e a Câmara exerce seu poder de promulgar a lei contra a vontade do prefeito, na esperança de que o desgaste perante o eleitorado não será tão grave assim. As urnas de 2020 responderão.

Queria ser um mosquitinho

O que será que passa na cabeça de alguns aliados atuais de Guti que já se imaginam negociando verbas para a campanha com a biliardária candidata tucana. O quê dizer então dos que já têm um pé em cada canoa?

Reflexo da greve

Lixo acumulado na av. Domingos Fanganielo – Foto: Adriana Soares/VC Repórter

Passados tantos dias depois da greve geral que não foi tão geral assim, permanecem consequências negativas para a população. A Trail, empresa que coleta o lixo domiciliar, tem demorado a recuperar o tempo perdido. Sobram queixas de atraso na coleta desde as poucas horas daquele paralisação. Embora não tenhamos merecido uma resposta da assessoria de imprensa da companhia, deduz-se que a logística da coleta opera no limite da capacidade e, assim, qualquer que seja o acúmulo, fica difícil acertar os ponteiros depois.