Coluna do Carleto – 24.08.2018

SEM CHURRASCO NA LAJE

Parece ter surtido efeito o alerta quanto à fragilidade da laje sobre o piscinão da Vila Galvão, que não estaria dimensionada para receber o peso que vinha sendo provocado por eventos lá realizados recentemente. Após a polêmica levantada na semana passada no Facebook por moradores vizinhos, e incrementada pelo portal Click Guarulhos e nesta coluna, não teve food-truck no fim de semana. As crianças puderam brincar tranquilamente com suas bicicletas e adultos fizeram caminhada. É esse o tipo de atividade que a prudência recomenda naquele local.

POR FALAR…

Na Vila Galvão, o Saae e a Prefeitura precisam dar um jeito nas tampas de poços de inspeção da avenida Francisco Conde. Algumas estão soltas e provocam barulho a cada carro que passa, perturbando o sono dos moradores.

O POVO GOSTOU

Muitas decisões do Congresso Nacional contrariam a vontade popular, apesar de seus componentes terem sido eleitos para representar o povo. Porém, as regras eleitorais para este ano parece que vieram a calhar: o tempo de propaganda no rádio e TV será menor, bem como o período todo de campanha. Considerando a pouca paciência que o povo está tendo com a classe política, quanto menos, melhor.

SOBRANDO GRANA?

O Diário Oficial do dia 21 trouxe a publicação de duas portarias de exoneração de comissionados e nada menos de 30 de nomeações. Dá até a impressão de que a Prefeitura já pagou todas as dívidas e que não falta verba para comprar remédios e outros insumos para a saúde.

PESQUISA DAS PESQUISAS

Apesar das divergências entre os números de umas e outras pesquisas, dependendo de quem as encomendou, na essência todas elas têm mostrado a seguinte tendência no momento: Se Lula puder ser candidato, o que é dado como quase impossível, estará tranquilamente no segundo turno, pois tem aparecido com índices entre 37 e 39% das intenções de voto. Sem Lula, o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, lidera de longe e dificilmente não disputará o segundo turno. Contra quem é a grande incógnita, pois os votos que seriam do ex-presidente diluem-se entre vários e, pelo visto até agora, o vice Fernando Haddad não herdará com facilidade o legado petista. A experiência me recomenda não apostar em nenhum resultado.

Valdir Carleto