Coluna do Carleto – 30.11.2018

TIME QUASE COMPLETO

Ao anunciar o 19o. nome de seu equipe de governo, o presidente eleito, Jair Bolsonaro, fica devendo apenas alguns para completar o time. Salvo algumas surpresas, o estilo geral dos escolhidos confere com o esperado. Agora, é torcer para que seja uma orquestra afinada, já que têm sido comuns aquelas em que cada integrante toca uma música diferente, como se não houvesse maestro.

MODUS OPERANDI

Tem acontecido cada vez com mais frequência de, diante de vazamentos, passar uma equipe do Saae no local, fazer uma demarcação no solo e deixar a água escorrendo até que outra equipe venha fazer o reparo. Há casos em que o intervalo entre uma ação e outra chegue a semanas. Marca de tinta no chão não resolve! Espera-se que quando a Sabesp assumir o saneamento de Guarulhos, haja maior eficiência nesse tipo de operação.

MENOS QUEIXAS

Não sei se efetivamente o serviço do HMU melhorou com a troca do Instituto Gerir para a Santa Casa de Misericórdia de Birigui, mas é perceptível que caiu sensivelmente o volume de queixas da população. Melhorou, ou o povo se cansou de reclamar?

GATO ESCALDADO

Com muitos eleitores com quem tenho conversado, percebo que há um fio de esperança de que as coisas melhorem de verdade na vida do País. Porém, é voz corrente que não se pode esperar muito da classe política. Os maus hábitos estão tão enraizados, em todas as esferas de governo, que as pessoas aprenderam a confiar desconfiando.

EFEITO RIO

A decisão judicial que culminou na prisão do governador do Rio de Janeiro, Pezão, deve servir de alerta para ocupantes de funções públicas. Com a tal delação premiada, cada vez mais na moda, nenhuma transação espúria tem total sigilo. Basta que alguém sinta a corda apertar para dar com a língua nos dentes e incriminar outros envolvidos.

MORRENDO DE MEDO

A liberação do ex-ministro Pallocci, decorrente da ampla delação premiada que fez, deve estar fazendo com que muita gente perca o sono. Diz o ditado que “quem não deve não teme”. Quem deve, porém…