Coluna Espalha Fatos de Sérgio Lessa – 18/02

Aqui não

Diferente do que foi publicado no início da semana, o presidente da Abracomtaxi – Associação Brasileira das Associações e Cooperativas de Motoristas de Taxi, Edmilson Americano, explica que a proibição de apreensão de veículos que oferecem o serviço de transporte individual de passageiros por meio do aplicativo Uber não se estende à cidade de Guarulhos. Segundo ele, a decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo vale apenas para a capital.

Confirmação

Na mesma linha, a Prefeitura de Guarulhos reafirma por meio de nota o que foi dito pela Abracomtaxi. De acordo com a Lei Municipal 2.433/80, que rege as autorizações sobre táxi no município, falta regulamentação para que este ou outro modelo de transporte alternativo possa trafegar livremente pela cidade. Segundo a Secretaria de Transportes e Trânsito, os táxis que servem ao Aeroporto Internacional, por força de lei, têm exclusividade no embarque de passageiros.

Mão de ferro

Sendo assim, todo e qualquer veículo que for pego fazendo esse tipo de serviço é e continuará sendo apreendido, seja ele táxi, Uber, ou outro aplicativo. A equipe de fiscalização guarulhense continuará atuando e combatendo qualquer tipo de transporte não autorizado no município. Apesar da proibição, ainda tem muita gente se arriscando e investindo na compra de veículos padrão Uber, pois sabem que a fiscalização da STT fora da região aeroportuária é ineficiente e cliente é o que não falta, ou seja, a guerra continua com o consumidor posicionado bem no meio do tiroteio.

Sem palavras

Bombou nas redes sociais um vídeo que enfatiza a gravação de uma fala, supostamente atribuída ao atual presidente do STAP, Pedro Zanotti, onde o membro da diretoria Sergio Alemão é ameaçado veementemente: “a próxima vez que você falar alto dentro do sindicato pra defender servidor e atacar diretor, o mais pelego que for, eu vou pegar um porrete e vou dar na sua cabeça. Não vai ser outra pessoa não, vai ser eu. Acorda pra cuspir. Esse pessoal quer ver a gente na merda (sic)”!

Hein?

As perguntas que não querem calar: se os diretores do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais não tem o princípio de defender a categoria, quem teria este papel? Se não defendem os servidores, defendem a quem? Sem perdão no Facebook, muitos funcionários públicos postaram suas indignações a respeito do ocorrido chegando a insinuar que Zanotti, vem direto da escolinha do prefeito Sebastião Almeida e do presidente do IPREF, Miguel Choueri, antes defensores árduos e líderes do funcionalismo e hoje considerados os seus maiores carrascos.