Como lidar com o cheiro do suor na puberdade

Como lidar com o cheiro do suor na puberdade

Que delícia quando os filhos nascem e os pais sentem aquele cheirinho de bebê que atiça os instintos mais profundos. E à medida que eles crescem, especialmente para as mamães, esse cheiro vai se tornando um tipo de identidade do amor, que ultrapassa o sensorial. Mas, com a chegada da adolescência, lá pelos 12 anos, esse odor muda, e muito.

A pediatra Ana Laura Kawasaka, do Portal Saúde4Kids, explica que quando os odores do suor, ou bromidrose, começam a aparecer, nem sempre os jovens percebem. Por isso, o alerta para que os pais fiquem atentos, evitando possíveis constrangimentos. “Nessa fase pré-adolescência, as chamadas glândulas apócrinas, presentes em regiões como axilas e virilhas, passam a produzir um suor mais gorduroso, que não tem cheiro. Porém, em contato com as bactérias presentes na pele, ele é quebrado em pequenas substâncias ácidas que apresentam o forte odor”.

Conheça alguns cuidados que aliviam a sensação de suor e amenizam o mau-cheiro:

» Higiene adequada é fundamental! São recomendados banhos diários e de preferência com sabonetes antibacterianos nas regiões que mais transpiram. Durante o dia, também pode usar o paninho com o sabonete, e depois um pano úmido pra remover as bactérias;

» É importante usar roupas de algodão, que deixam a pele ventilar melhor do que tecidos sintéticos;

» Alimentos apimentados, condimentados, cafeína, cebola e alho podem piorar o problema. Se isso estiver acontecendo, deve-se reduzir o consumo;

» Não usar a mesma roupa por mais de um dia. As bactérias da pele podem produzir o mau cheiro se entrarem em contato com o suor que ficou na roupa;

» Usar desodorantes e antiperspirantes, dê preferência produtos classificados como hipoalergênicos;

» Para os casos que não conseguem ser controlados com essas medidas, é recomendada uma avaliação médica com dermatologista para avaliar outras opções de tratamento.

Ana também explica que há diferença entre desodorantes e antiperspirantes. “Os desodorantes servem apenas para tentar eliminar o odor através de efeito bactericida. Possuem substância antissépticas como álcool ou triclosan. Mas não agem na quantidade de suor”.

Já os antiperspirantes ou antitranspirantes bloqueiam os poros, diminuindo temporariamente a quantidade de suor eliminada. “Geralmente são compostos à base de alumínio e, quanto maior a sua concentração, mais eficazes são os produtos. Porém, também aumentam a chance de causar irritações na pele”, alerta a pediatra.

Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), antitranspirantes e produtos em formato aerossol são indicados a partir dos 12 anos. Antes dessa idade, se necessário, devem ser usados apenas desodorantes (em roll-on ou cremes), de preferência classificados como hipoalergênicos, sem cheiro e sem álcool.