Confira novidades na declaração de imposto de renda pessoa física 2019

Começou desde o dia 07 de março e se estenderá até 30 de abril o período para entrega da Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física/2019 (DIRPF), a Receita Federal espera receber aproximadamente 30,5 milhões de declarações.

Estarão obrigados a fazer a DIRPF os contribuintes que em 2018 se enquadraram em uma ou mais das seguintes situações:

a) receberam rendimentos tributáveis (salário, aluguel, pensão alimentícia) superior a R$ 28.559,70;

b) obteve receita bruta da atividade rural superior a R$ 142.798,50;

c) receberam rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, superior a R$ 40.000,00;

d) tiveram a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300.000,00.

Para esse ano há algumas novidades para a entrega da declaração, entre as quais:

1 – Obrigatório informar o CPF dos dependentes independentemente da idade, bem como dos alimentandos.

2 – Na ficha de declaração de bens e direitos, para os imóveis desde 2018 são facultativos as informações em campo especifico como, área do imóvel, cartório, matricula, etc, também o nº do RENAVAM para os veículos.

3 – O contribuinte poderá checar no dia seguinte se a declaração foi processada ou se está na malha fina, tendo tempo suficiente para as devidas retificações.

A fim de evitar a malha fina, a qualidade e organização dos documentos de maneira prática e funcional são pontos vitais, portanto é importante juntar todos os documentos (despesas médicas, recibos escolares, dados dos dependentes, doações efetuadas, pagamento a previdência privada, informes de rendimentos dos bancos, informe de rendimentos das fontes pagadoras, etc.), observando datas, despesas efetivamente aceitas como dedutíveis, do titular bem como dos dependentes.

Deixar de entregar a declaração pode causar muitos transtornos burocráticos e financeiros ao contribuinte, a multa para quem não entregar no prazo é de no mínimo R$ 165,74 e para quem teve imposto devido é de 1% ao mês, limitada a 20%.

Portanto evite deixar tudo para a última hora, pois fazendo antecipadamente há tempo para revisar as informações, buscar documentos, lembrando que para evitar contratempos com a Receita Federal, procure sempre a consultoria de um profissional habilitado.

Josué Gonçalves Pereira
Sócio Diretor: Capital Consultoria Empresarial Ltda
Prof. FIG UNIMESP