Conselho elabora Plano Municipal de Cultura

Com mandato de dois anos, o Conselho Municipal de Cultura, eleito em setembro de 2017, realiza este ano as suas últimas atividades, entre elas a elaboração do Plano Municipal de Cultura. O plano está sendo construído por uma comissão do Conselho, eleita e composta por seis membros, três conselheiros da sociedade civil e três do poder público municipal. Pensado a partir das conferências anteriores, recentemente foram lançados dois cadastros para auxiliar no mapeamento e diagnóstico dos artistas e espaços culturais: um formulário para mapeamento de artistas: https://goo.gl/uj4qT2 e outro para mapeamento de espaços culturais: https://goo.gl/1fnPeB.

O retorno da Secretaria de Cultura foi uma das batalhas travadas pelo Conselho, que sempre defendeu, de forma unânime, essa pauta na plenária da Conferência de Cultura.
“Em todas as esferas governamentais a participação da sociedade é fundamental, muito além da obrigatoriedade do voto. O CMPC é só mais uma entre tantas ferramentas que os cidadãos têm de atuação para a elaboração de políticas públicas que de fato atendam as necessidades da sociedade”, disse Marina Pinto, uma das conselheiras.

Para a elaboração de políticas públicas é necessário um diagnóstico, o mais amplo possível, que abarque toda a diversidade da sociedade. Em Guarulhos, nas conferências de cultura, uma das reivindicações mais recorrentes é o mapeamento cultural da cidade, identificando quem são e onde estão os agentes culturais, além dos espaços destinados a cultura, projetos e iniciativas.

“Esse mapeamento pode nos dar a real situação da cultura na cidade. Com esses dados, mais o diagnóstico do poder público e as propostas feitas em todas as conferências de cultura, podemos elaborar um Plano Municipal de Cultura muito próximo das reais necessidades. Seguindo esse caminho é que o CMPC, por meio da sua comissão do PMC, criou e já disponibilizou um cadastro de artistas e coletivos, e outro de espaços independentes”, argumenta Marina Pinto, presidente do conselho e membro na cadeira de literatura.

O conselho também dedica os fóruns setoriais deste ano para discutir a construção “da ideia e introduzir esse tema entre as linguagens, para nos próximos fóruns aprofundarmos a discussão por eixo temático”, disse Marcelo Mendonça, coordenador da Comissão do Plano e dos Fóruns Setoriais.
Os  fóruns são bimestrais e os primeiros deste ano acontecem neste mês de fevereiro, na semana de 18 a 22, a partir das 19h30, no Adamastor.

Agenda:
Segunda-feira 18: Audiovisual e Literatura;
Terça-feira 19: Artes Visuais e Música;
Quarta-feira 20: Artes Cênicas e Patrimônio Histórico;
Quinta-feira 21: Hip Hop;
Sexta-feira 22: Associações Não Governamentais e Cultura Popular.