Corpo do goleiro Christian é sepultado ao som do Hino do Flamengo no Rio de Janeiro

Sepultamento do goleiro do Flamengo, Christian Esmério, 15, no Cemitério de Irajá. O atleta foi um dos 10 mortos no incêndio num dos alojamentos do Ninho do Urubu - Tânia Rêgo/ABr

“Uma vez Flamengo, Flamengo até morrer”. O Hino do Flamengo foi cantado neste domingo, 10, no Cemitério de Irajá, pelas centenas de pessoas que acompanharam o sepultamento do corpo do goleiro Christian Esmério, de 15 anos. O atleta foi um dos 10 mortos no incêndio de sexta-feira, 8, em um dos alojamentos do Ninho do Urubu,como é conhecido popularmente o Centro de Treinamento Presidente George Helal, na zona oeste do Rio de Janeiro.

Além de parentes e amigos, muitos torcedores do clube foram ao enterro e fizeram questão de homenagear o jovem atleta que, em sua curta carreira, já tinha defendido a Seleção Brasileira e era apontado por todos como dono de um futuro brilhante.

“Ele tinha muito potencial. Era diferenciado. A gente viu na hora em que ele chegou no clube. Além de ser uma criança irreverente e alegre, a potência de interpretação dos treinadores era tremenda. Há pouco tempo, ele foi nos visitar e disse: ‘Carlão, eu vou chegar lá, eu estou chegando. Eu vou ajudar a minha família, vou tirar todo mundo da situação ruim'”, lembrou Manoel Carlos, conhecido como Carlão, roupeiro do Madureira, primeiro clube de Christian.

Na pequena capela onde o corpo foi velado, o caixão fechado foi coberto pelas camisas do Flamengo e da Seleção Brasileira, com os troféus que ele ganhou em sua breve carreira. Goleiro do Flamengo e da Seleção Brasileira Sub-15, Christian nasceu em Madureira, na zona norte do Rio, e foi convocado pela primeira vez em novembro do ano pasado. O sepultamento ocorreu às 12h30.

Em janeiro deste ano, foi convocado para atuar na categoria Sub-17. Christian se destacou ainda na conquista do Flamengo da Copa Nike Sub-15, vencida pelo clube em abril do ano passado. Na semifinal contra o Grêmio, o goleiro defendeu um pênalti. Na grande decisão, mais dois, contra o São Paulo. Tido como herói do título, ele posou ao lado da taça e afirmou que a conquista ficaria “sempre” em sua memória.

Até momento, foram identificados e liberados para sepultamento pelo Instituto Médico-Legal (IML) os corpos de oito dos 10 jogadores mortos.

Na página oficial do Flamengo na internet, o clube listou os nomes dos já identificados: Arthur Vinicius de Barros Silva, Pablo Henrique da Silva Matos, Vitor Isaias Coelho da Silva, Bernardo Augusto Manzke Pisetta, Gedson Corgosinho Beltrão dos Santos, Athila de Souza Paixão, Christian Esmerio Candido e Rykelmo de Souza Viana.

A reportagem da Agência Brasil não localizou nenhum representante da diretoria do Flamengo presente no Cemitério de Irajá, para falar sobre Christian e os demais jogadores mortos na tragédia.

*Com informações da Agência Brasil