Cresce o número de buracos; Prefeitura indica formalizar reclamação na rede Fácil

Pela terceira vez em um ano, buraco se abre na rua Antônio Alexandre de Araújo - Foto: Rafael Pozzi/VC Repórter

Moradores de diversos bairros, como Centro, Vila Galvão, Paraventi, Jardim Rosana, Picanço, Cumbica, Vila Rio e tantos outros, reclamam do grande número de buracos espalhados pelas ruas da cidade. Alguns foram abertos pela Sabesp para serviços de manutenção e conserto de vazamento. Nesses casos, a indagação é: por que quem abriu o buraco não o tapa, ou avisa a equipe responsável para tapa-lo? A resposta da Prefeitura tem sido a mesma: “o munícipe deve procurara a rede Fácil para registar sua reclamação”.

Um deles, aberto e “consertado” por duas vezes na rua Antônio Alexandre de Araújo, em frente ao número 39, no Jardim Rosana, causa revolta e indignação nos membros da família Pozzi. “Pela terceira vez em apenas um ano o mesmo buraco na frente de casa está se abrindo”, diz Rafael Pozzi. Segundo ele, o primeiro serviço, executado para consertar um vazamento de água, foi feito pelo Saae (agora Sabesp), em fevereiro do ano passado. “Só que deixaram uma cratera no local. Em seguida, foram tapar, porém o material utilizado é tão ruim, mas tão ruim, que o buraco voltou a se abrir, até maior do que era antes”, protestou ele. Após nova reclamação “passaram uma ‘capa asfáltica’ aqui na frente. E agora, prestes a completar um ano, a cratera está aparecendo de novo! Nosso medo é reabrir totalmente, igual a antes… Aí estamos lascados pra passar aqui, guardar carro etc”, completou Pozzi.

Em outro caso, a Sabesp consertou um vazamento na rede de água em frente ao número 121 da rua São João, na Vila Trabalhista, região do Picanço. Porém, o asfalto “rasgado” durante o reparo não foi consertado. “Quando será consertado?”, questiona um morador.

Ao longo da avenida Marginal Direita, no Jardim Nova Cidade, há uma sequência de buracos (fotos abaixo). Segundo um dos moradores os buracos estão causando grandes transtornos há cerca de 6 meses. “Infelizmente nossa cidade está esquecida e abandonada”, disse.

Na rua Brasilândia, altura do número 311, na Vila Rio de Janeiro, há muitos buracos, se queixa um morador, completando que eles (os buracos) estão por lá “há mais de dois anos, sem atuação da Prefeitura”. “Os buracos são muito grandes e acabam por causar riscos aos pedestres e motoristas”, completou ele.

Respostas

A Sabesp, que costuma responder de imediato às demandas de vazamento de água, não tem a mesma celeridade para tapar os buracos que ela própria abre. Porém, se compromete a verificar caso a caso e, quando constata que o serviço lhe cabe, costuma executa-lo. A Proguaru também responde com atenção, mas, como tem uma grande quantidade de vias para reparar, nem sempre consegue ser eficiente.

Todos os casos citados nesta reportagem foram encaminhados à Prefeitura na semana passada e ontem. Para a maioria deles a resposta foi a de que o munícipe deve formalizar o pedido na rede Fácil, solicitando o “número de protocolo para verificação junto ao setor responsável”. Como nem todo cidadão foi à rede Fácil registrar queixa, que comumente tem logas filas e às vezes sofre “queda de sistema”, espera-se que a Prefeitura possa averiguar os casos a partir das fotos, relatos e endereços. Quantos aos buracos: por hora continuam abertos.

Sabesp

A Sabesp enviou resposta na tarde desta quarta-feira, 6. “Sobre buraco na rua Antônio Alexandre de Araújo, informamos que já está programada a reposição deste pavimento entre os dias 11 e 18 de fevereiro. A Sabesp esclarece que começou a operar no município de Guarulhos no dia 1º de janeiro de 2019, pede desculpas pelos transtornos e informa ainda que está trabalhando diariamente para atender as demandas”, informou em nota.

A Sabesp informou também que “realizou a reposição asfáltica, no sábado, 2 de fevereiro, na Rua São João, altura do nº 121, em Guarulhos,  solucionado o problema apontado.”

Proguaru

“Em relação às vias citadas pela reportagem, a Proguaru informa que apenas a rua Brasilândia, na Vila Rio de Janeiro, é de responsabilidade da empresa. A manutenção já se encontra em nossa programação. As demais vias são de responsabilidade da Sabesp”, informou a empresa em nota.