Cresce percentual de mulheres presas por tráfico de drogas no Aeroporto de Guarulhos

O portal G1 noticiou que, no primeiro semestre deste ano, a Polícia Federal (PF) prendeu 62 mulheres por tráfico drogas no Aeroporto Internacional de Guarulhos, número que representa 45,6% do total (136 prisões) e aumentou em relação ao mesmo período de 2017 (42,5%) e 2016 (32%).

A média apreendida era de 5kg nos 3 anos anteriores e subiu para 6,5kg neste ano. Mas, há casos que extrapolam de longe essa média: Na noite de quinta-feira (26), uma mulher de 29 anos, moradora em Goiás, foi abordada em Cumbica quando despachava duas malas com 40 kg de cocaína. Ela foi presa e disse que receberia R$ 40 mil para levar a encomenda para Portugal.

Este foi o terceiro caso em menos de duas semanas: no dia 14, uma mulher de 39 anos foi presa quando tentava embarcar para Angola com cocaína amarrada nas pernas; no dia 18, outra mulher foi presa antes de seguir para a África com cocaína escondida nas alças da mala de viagem.

Para a polícia, os traficantes usam as mulheres como “mulas” para tentar driblar a fiscalização, uma aposta errada, segundo o chefe da delegacia especial. “A gente não avalia se é homem, mulher, estrangeiro ou brasileiro. Buscamos passageiros que possam estar praticando ilícitos e conseguimos identificar esse perfil”, afirma o delegado Rodrigo Weber de Jesus.

Os disfarces são variados – há drogas escondidas em fundos falsos, nas rodinhas das mala, no forro de bolsas, no solado de tênis e até em peças de carro.