O Inverno chegou e os dias frios sempre exigem mais cuidados com a saúde. Essa recomendação também deve se estender para os pets que, assim como os humanos, precisam de cuidados especiais para se protegerem das baixas temperaturas.

Nos dias mais frios, os cuidados com os animais devem ser redobrados; afinal, o fato de eles serem cobertos de pelos não significa que estão naturalmente protegidos e imunes às doenças. Apesar de o Inverno no Brasil ser brando, a estação é marcada pelo tempo seco e pela pouca chuva. A alternância de temperatura que acontece entre madrugadas frias e dias quentes pode ser um agravante para a saúde de animais adultos, mas principalmente para filhotes e bichinhos mais velhos.

“A variação de temperatura ao longo do dia abre espaço para uma queda na imunidade, algo muito sensível entre essas duas faixas etárias, o que aumenta a probabilidade de contrair doenças típicas da época, como gripe e pneumonia”, explica a médica veterinária Cibele Erreiras Ruiz.

Entre os animais idosos existem outras doenças que têm seus sintomas piorados com o frio. Algumas delas são: artrite, atrose, dores na coluna e nas articulações, atrofia dos músculos, etc. A diminuição na camada de gordura, que funciona como uma barreira natural, também piora a qualidade de vida dos pets.

Os animais que sentem mais frio naturalmente tendem a procurar lugares quentes para dormir e se aninhar. Se o frio estiver sendo um grande empecilho, o bicho também vai diminuir a ingestão de comida e água, e até pode perder o interesse por brincadeiras, ficando apático. Esse comportamento serve para poupar energia. Na presença de doenças respiratórias, alguns podem ter tosse, espirros e até secreção nasal e ocular.

Cinco dicas essenciais para manter os pets aquecidos neste Inverno, de acordo com a médica veterinária Cibele Erreiras Ruiz .

Ofereça abrigo

Não precisa ser dentro de casa, mas é fundamental que seja em um local protegido do vento e da chuva. É recomendado que o abrigo tenha uma cama quente, longe do contato direto com o chão frio. Agasalhar o animal com roupinhas especiais para protegê-lo do frio também é uma ajuda a mais. Para filhotes, a sugestão é o uso de bolsas de água quente embaixo da caminha, pois eles estão acostumados ao calor da ninhada. Além de aquecer, essa dica também serve para adaptar o filhote ao seu novo lar.

Banho quente

Nas épocas mais frias, é indicado reduzir a quantidade de tosas, mas continuar dando atenção especial aos banhos; afinal, eles ajudam a manter a saúde em dia, afastando parasitas e doenças. Escolha a hora mais quente do dia para dar banho e preste atenção na temperatura da água. Sempre proteger os ouvidos para evitar otite – inflamação na orelha média. Antes de dar o banho por encerrado, seque bem o animal e permaneça alguns minutos no ambiente para evitar o choque térmico. Alguns produtos conhecidos como banho a seco também são uma boa alternativa para a higienização nas semanas mais geladas, pois não necessita de enxague.

Atividade física

Estimular a prática de atividades físicas não só ajuda na imunidade do bichinho, como também acelera o metabolismo e contribuí com o aumento da temperatura corporal. Existem no mercado diversos brinquedos que estimulam os pets a se movimentarem e interagirem com os tutores. É também uma forma de mantê-los animados.

Ambiente saudável

Como já falado anteriormente, o grande problema do Inverno brasileiro é a baixa umidade. Para evitar um ambiente muito seco, espalhe toalhas úmidas ou baldes com água.

Vacinação em dia

Ter uma rotina de consultas ao veterinário e a vacinação em dia é indispensável para manutenção da saúde. No Inverno, é fundamental para cães a vacina contra a gripe e para gatos a vacina contra rinotraqueíte.

Cuidados com outras espécies

Os cuidados com a saúde também precisam ser estendidos para outros tipos de pets, como os répteis, pássaros, peixes e roedores. No caso de aves, é preciso manter uma atenção especial para as gaiolas, evitando pendurá-las em locais com correntes de ar. À noite, mesmo em locais fechados, o ideal é cobrir a gaiola com uma lona ou tecido escuro. Em ambientes muito frios, a dica é colocar uma lâmpada de cerâmica ou aquecedor no ambiente onde o animal dorme, e essa dica também serve para roedores e répteis.
Donos de iguanas, tartarugas, jabutis, cobras e afins precisam dar atenção especial à temperatura do local, uma vez que a temperatura dos répteis é a mesma do ambiente e isso interfere diretamente em seu metabolismo. A dica nesse caso é construir, dentro da gaiola, uma toca para que o animal possa se aquecer. Forrar a gaiola com serragem e papel picado também funciona como um isolante térmico.