Curiosidades que talvez você não saiba

Por Jônatas Ferreira

Arroz nos noivos, por quê?

Fim da cerimônia. Noivos e convidados felizes por mais uma união que foi selada. Os pombinhos saem da igreja e de repente: uma chuva de arroz despenca sobre eles. Mas, como surgiu essa tradição?
Conta a lenda que, há 4 mil anos, na China, onde o arroz sempre foi símbolo de prosperidade e frutificação, um mandarim da alta sociedade encomendou uma chuva do cereal para ser atirada sobre sua filha após a cerimônia de casamento, demonstrando sua riqueza e também como um gesto de amor pela moça. A coisa se espalhou ao ponto de atingir todo o mundo.

Mas esse costume não é predominante em todos os países. No Marrocos, por exemplo, figos, tâmaras e passas, são um incentivo a uma união frutífera. Entre italianos, noivos reebem doces e nozes cristalizadas. Na Coréia, o pai do noivo joga tâmaras vermelhas em sua nora para trazer fertilidade. No Brasil, veem-se também bolhas de sabão e pétalas de flores espalhados sobre os nubente.

Calcule a idade do seu cão

Geralmente, escutamos que, para cachorros, um ano de vida vale por sete do homem; não é bem assim que funciona. Essa fórmula simples não leva em conta fatores importantes como o tamanho e características fisiológicas, pois nem todas as raças envelhecem na mesma velocidade.
Por exemplo, cães de porte pequeno são considerados filhotes entre 9 meses e 1 ano; os médios, entre 12 e 14 meses e os cães grandes, 18 meses. Os de pequeno e médio porte são considerados adultos até os 8 anos; os grandes, até os 6.

Há sempre exceções e a exatidão depende de vários fatores, como os cuidados com os cães. O tempo de vida de um cachorro pequeno pode chegar até os 20 anos, enquanto os médios, 14 e os grandes, 12. Mas não se deve levar os números e forma absoluta: cada raça tem sua maneira de se desenvolver; maltês ou yorkshire atingem a maturidade mais rápido e tendem a viver mais tempo, mas buldogues podem viver menos. Tudo varia e o que importa é o carinho que você dá ao seu cão – e isso conta, e muito.

O padrão QWERTY

Com a frequência do uso, nos acostumamos. Mas já olhou para o teclado do seu computador e se perguntou o porquê de a ordem das letras estarem “bagunçadas”? Para entendermos, precisamos rememorar os tempos da saudosa datilografia, ou da máquina de escrever, criada e patenteada pelo inventor americano Christopher Sholes, em 1868.

A história conta que o que conhecemos como padrão QWERTY, que são as primeiras letras do teclado, nasceu depois de uma falha no modelo original, que estava em ordem alfabética. Sholes teve de replanejar a sequência após perceber que se alguém teclasse rapidamente uma sucessão de letras que estavam próximas, a máquina estragaria. Então, Sholes separou as combinações mais comuns da língua inglesa para dificultar os toques. Essa história, hoje, é questionada, e outros estudos apontam explicações diferentes. Mas ainda não há nada confirmado.

Outros padrões nasceram com o tempo para tentar derrubar o QWERTY, mas, como podemos observar, ele continua soberano até hoje.