Datafolha aponta queda brusca de Russomano; Marta e Dória sobem

Reportagem de Thais Bilenki, publicada pelo UOL, mostra os novos números da pesquisa Datafolha. Contratado pela Folha de SP e TV Globo, o levantamento foi feito na quinta, 8, e ouviu 1.092 pessoas.

O Datafolha mostra o candidato a prefeito de São Paulo Celso Russomanno (PRB) despencando, dos 31% que apresentava na pesquisa anterior para 26% na atual.
Ao mesmo tempo, a senadora ex-petista Marta Suplicy (PMDB) e João Doria (PSDB) cresceram respectivamente para 21% e 16%.
O instituto considera a disputa embolada, pois com a margem de erro, Marta e Russomano estariam tecnicamente empatados. Doria aparecia com 5% na pesquisa anterior e subiu exponencialmente, porque era desconhecido do grande público e muitos que o conhecem não sabiam que ele é candidato. O tempo maior de exposição na TV pode ter sido a principal razão do crescimento do tucano.
O prefeito Fernando Haddad (PT), candidato à reeleição, subiu ligeiramente, de 8% para 9%. Já a deputada Luiza Erundina (PSOL) caiu de 10% para 7%. Major Olímpio (SD) manteve-se em 2%; Levy Fidelix (PRTB) e João Bico (PSDC) registraram 1% cada. Ricardo Young (Rede), Henrique Áreas (PCO) e Altino (PSTU) foram citados, mas não pontuaram.

Caíram os índices de votos brancos ou nulos: são 13%, e 4% dos entrevistados não opinaram. Em agosto, 17% disseram que votariam em branco ou nulo e 7% não opinaram.

SEGUNDO TURNO

No segundo turno, de acordo com o Datafolha, Russomanno venceria Marta por 45% a 38%. Em agosto, a diferença era de 51% a 32%.

Se a disputa fosse com Doria, a vitória do candidato do PRB seria de 52% a 28%. Em agosto, o deputado vencia de 63% a 16%.

De Haddad, Russomanno ganharia de 56% a 25%. De Erundina, 56% a 27%.

O prefeito perderia para Marta (23% a 51%), para Doria (30% a 45%) e para Erundina (28% a 44%).

Marta ganharia de Erundina (50% a 27%) e de Doria (48% a 33%).

REJEIÇÃO

Haddad ainda é o candidato com maior rejeição: 46% disseram que não votariam nele, ante os 49% medidos em agosto.

Marta tem 29% (ante 32% do levantamento anterior) e Erundina, 26% (ante 25%). A rejeição de Russomanno oscilou de 18% para 21%. No caso de Doria, 20% não votariam nele (eram 22%).