Delação de empreiteira aponta pagamento a irmão de Ciro Gomes no Ceará

Reprodução de notícia do site Congresso em Foco

Segundo reportagem do jornal O Globo, executivos da empreiteira Galvão Engenharia fecharam acordo de delação premiada com a Procuradoria Geral da República (PGR) e apontaram que Lúcio Gomes, irmão do candidato à presidência da República Ciro Gomes (PDT), recebeu R$ 1,1 milhão em dinheiro vivo. Além disso, Lúcio Gomes teria captado R$ 5,5 milhões via doações eleitorais para o PSB, em troca de liberação de pagamento de obras no governo do Ceará durante a gestão de Cid Gomes, outro irmão de Ciro.

O acordo de delação foi homologado no Supremo Tribunal Federal (STF) em dezembro do ano passado e era mantido em sigilo. Segundo o jornal, que teve acesso ao documento, o ex-executivo da construtora Jorge Henrique Marques Valença disse que “havia uma sistemática por meio da qual se conectava a liberação de pagamentos devidos pelo Estado do Ceará com financiamento de campanha e doações oficiais e não oficiais”.

O empresário disse ainda que “orientava a empresa a procurar diretamente Ciro ou Cid para uma ‘conversa institucional’, na qual deveriam indicar a ordem dos recebimentos das pendências que deveriam ser cobradas”. Henrique disse, no entanto, que nunca esteve com Ciro.

Lúcio Gomes e Ciro Gomes negam as acusações.

Segue link da reportagem d´O Globo: https://oglobo.globo.com/brasil/delator-aponta-caixa-2-para-irmao-de-ciro-gomes-no-ceara-23092488