Deputados democratas querem mostrar serviço

Tomara Guarulhos sempre pudesse contar com dois deputados disputando qual deles consegue obter mais benefícios para a cidade.

A rigor, Guarulhos não elegeu nenhum deputado federal. Janete Pietá, que havia sido eleita fundamentalmente com votos locais em 2010 não conseguiu reeleger-se em 2014. Já Jorge Tadeu e Eli Corrêa Filho, ambos do DEM, tiveram votos em Guarulhos mas, se dependessem disso, estariam fritos. Os dois fizeram campanhas fortes na cidade, mas não tiveram votação expressiva por motivos parecidos. Tadeu é genuinamente guarulhense, iniciou aqui sua carreira política, mas se afastou, tendo em vista que conquistou apoio da Igreja Internacional da Graça. Eli obteve vínculo com Guarulhos por ter se casado com a arquiproprietária Francislene Assis de Almeida, mas só se aproximou daqui quando resolveu ser candidato a prefeito.
]
Fatalmente os dois serão candidatos à reeleição e, mesmo sendo do mesmo partido, o DEM, vêm disputando palmo a palmo algum espaço para mostrar serviço à população de Guarulhos.

Com o resultado das eleições de 2016, o filho de Tadeu ficou na primeira suplência de vereador do PMDB. Para que ele possa assumir, precisa que um dos vereadores eleitos pelo partido – Lamé Smeili ou Carol Ribeiro – assuma uma função no Executivo. Para tal, aproximou-se do novo prefeito e vem buscando abrir portas para Guti no governo federal. É verdade que as relações de amizade entre as famílias Costa e Mudalen são antigas; porém, é inequívoco que Tadeu quer a vaga para o filho na Câmara de Vereadores e também reforçar seu nome para a eleição de 2018.
Entre outras reivindicações que encampou, está a da reabertura da ponte sobre o rio Baquirivu, para acesso ao Aeroporto e à rodovia Hélio Smidt. Nesse sentido, acompanhou Guti dias atrás ao gabinete do ministro dos Transportes, Maurício Quintela, para cobrar atendimento ao pedido feito logo no início da nova gestão.

Para não ficar atrás, Eli Corrêa Filho conseguiu marcar uma audiência pública na Câmara dos Deputados, em Brasília (DF), para a qual convidou os vereadores guarulhenses, representantes da Prefeitura e demais lideranças que tivessem interesse na questão. O deputado estadual Gileno (PSL), aliado de Eli, lá esteve, bem como nada menos de 13 vereadores, entre os quais alguns da base de apoio de Guti, outros ligados a Eli, além de oposicionistas.

Louvem-se ambas as iniciativas, pois se espera que, se os dois reivindicam a mesma coisa, aumentam as chances de o pedido ser atendido.

Há que se registrar, porém, o teor venenoso do release disparado na tarde desta terça-feira pela assessoria de Eli Corrêa Filho, alegando desinteresse da Prefeitura de Guarulhos pelo assunto, por não ter enviado representante à audiência. Na verdade, se o próprio prefeito esteve na capital federal no dia 10 para tratar disso, não hã desinteresse. O que não há é interesse em prestigiar a iniciativa do deputado que foi rival na eleição de 2016 e que é adversário político do colega de partido na eleição de 2018.

Registre-se, também, que o deputado Eli fala em mover ação judicial para discutir os acessos ao Aeroporto. Considerando a morosidade de nossa Justiça, não parece muito hábil propor uma solução como essa. Ainda mais em se tratando de um parlamentar que representa um dos principais partidos de sustentação do governo Temer no Congresso.

Bom seria se os dois democratas honrassem a definição do nome do partido e lutassem juntos para trazer melhorias para Guarulhos, em vez de ficarem se digladiando nos bastidores por alguns minutos de fama e míseras quireras eleitorais. Vai ficar feio para os dois, se não houver uma solução viável para reabrir a ponte ou obter uma travessia que a substitua.

A título de ilustração sobre o tema, reproduzo os dois releases: o da Prefeitura, relatando a visita de Guti a Brasília, acompanhado de Jorge Tadeu; e o da assessoria de Eli, sobre a audiência pública.

Valdir Carleto

Guti cobra reabertura da ponte do rio Baquirivu, no Ministério dos Transportes
Umas das principais reivindicações da população da região do São João e Fortaleza, a reabertura da ponte sobre o rio Baquirivu, que liga a rodovia Hélio Smidt à avenida Jamil João Zarif, foi o terceiro encontro sobre o tema que o prefeito Guti realizou nesta quarta-feira, dia 10, no Ministério dos Transportes, em Brasília. O acesso, que era muito utilizado pela população, foi fechado em novembro de 2013, em razão da realização da Copa do Mundo no ano seguinte.
Recepcionado pelo ministro Maurício Quintella Lessa, Guti disse que a reunião foi importante para reforçar o quanto impacta a ponte fechada na mobilidade da cidade. “O acesso da ponte sobre o rio Baquirivu no Aeroporto afeta muito a locomoção dentro da cidade e principalmente para a comunidade dos Malvinas e moradores de toda a região do São João até o Fortaleza. Criamos um grupo de trabalho para que solucionemos de vez a questão desse caso”, explicou Guti.
Maurício Quintella também falou sobre a questão. “O Aeroporto de Guarulhos é o maior equipamento de transportes do País. Ele é fundamental para a mobilidade de São Paulo e do Brasil, mas não podemos esquecer da necessidade de garantir a mobilidade urbana da cidade. Temos de preparar o aeroporto e a cidade para o futuro, uma vez que o movimento de passageiros vai aumentar muito. Temos de trabalhar todo mundo unido, em todas as esferas”, reforçou o ministro.
Guti esteve no encontro acompanhado do vice-governador de São Paulo, Márcio França, do deputado federal Jorge Tadeu Mudalen, além de representantes da Gru Airport, concessionária que administra o Aeroporto Internacional de Guarulhos.

Eli Corrêa propõe ação judicial para discutir acessos ao Aeroporto

Nesta terça-feira (16), o deputado federal Eli Corrêa Filho presidiu a audiência pública realizada para discutir a reabertura de acessos ao Aeroporto Internacional de Guarulhos. Eli lamentou “o profundo desinteresse, começando pela Prefeitura de Guarulhos, que, hoje de manhã, anunciou que não mandaria o representante escalado para a audiência”. Eli também destacou o desrespeito da GRU Airport e da Infraero que não enviaram representantes. Apenas o Ministério dos Transportes enviou o secretário nacional de Aviação Civil, Dario Rais Lopes, representando o Ministro de Estado dos Transportes, Portos e Aviação Civil.
Uma comitiva de 13 vereadores de Guarulhos também fizeram (sic) questão de ir à Brasília para acompanhar a audiência. Marcaram presença os vereadores Eduardo Barreto, João Dárcio, Laércio Sandes, Luis da Sede, Professor Jesus, Ramos da Padaria, Romildo, Serjão Inovação, Thiago Surfista e Wesley Casa Forte. As vereadoras Carol Ribeiro, Janete Pietá e Sandra Gileno também integraram a caravana.

A mobilidade em Guarulhos é problema recorrente e que conta com o apoio de outros deputados que manifestaram apoio integral ao deputado Eli Corrêa nos desdobramentos da pauta. A luta envolve os deputados federais Vanderlei Macris, Gilberto Nascimento, Major Olímpio Gomes, Orlando Silva, Luis Lauro, Goulart, Roberto Lucena e a deputada Keiko Ota. O deputado estadual Gileno Gomes e o representante da COPERTRANS, Alemão, também prestigiaram a audiência.

Desdobramentos
No encerramento dos trabalhos, o deputado Eli Corrêa Filho adiantou que, em função do contexto de irresponsabilidade e desrespeito ele vai ingressar com “ação judicial na Justiça Federal de Guarulhos para que, em juízo, possamos ouvir o MP e a GRUAirport em busca de uma decisão judicial”.
A recusa de participação da audiência da Prefeitura, da autarquia e da concessionária foi considerada pelo deputado com uma “cortina de fumaça”. Ele ponderou que a ação judicial é “uma atitude que vai no limite, porque a população está sofrendo, e há ansiedade daqueles que representam a população que não são atendidos”.
Eli também sugeriu a formação de uma subcomissão especial na Comissão de Viação e Transportes (CVT) para discutir o tema. Outra ação em curso é a formação de uma Frente Parlamentar que já conta com 190 nomes e, portanto, tem a quantidade necessária para sua constituição.
Todas as medidas estão sendo adotadas porque, conforme destacou Eli Corrêa, “a boa vontade já está no limite, a população está a ponto de uma revolta muito maior”, afirmou.