Dia da Bandeira de um país manchado com a lama de Mariana

No dia 19 de novembro comemora-se o Dia da Bandeira do Brasil, comemoração que passou a fazer parte da história do país após a Proclamação da República, no ano de 1889. Com o fim do período Imperial (1822-1889), a bandeira desenhada por Jean Baptiste Debret, que representava o império, foi substituída pela atual, cujo desenho é de Décio Vilares.

A nova bandeira representou a simbologia que estava agregada ao republicanismo, como a ideia de um Estado-nação, o patriotismo e o surgimento do sentimento nacionalista, com cada cor representando riquezas naturais do Brasil, como as matas e o ouro, encimados por um estrelado azul de anil e o branco, simbolizando a paz.

Ao comemorar mais um Dia da Bandeira, impossível não falar de como a irresponsabilidade de governantes e a ganância de algumas empresas cobriram de lama o nosso País, que deveríamos tratar com todo zêlo e denodo, assim como a bandeira.mapa brasil lama

O Brasil está de luto pela tragédia de Mariana. Não importa que tenham sido menos vítimas fatais do que os sangrentos atentados na França. A humanidade mundial está de luto pela França e nós brasileiros também estamos chocados e entristecidos com o que aconteceu lá.

Mas o drama de Mariana não se resume às mortes ali ocorridas. Não se resume ao desconforto de centenas de famílias que estão desabrigadas, nem ao transtorno que tanta gente da região está enfrentando desde então.

É incalculável o prejuízo que essa tragédia causou e causará à população brasileira. Não falo de dinheiro. Falo dos rios que essa lama tóxica dizimou; falo da vegetação que sofrerá por décadas, talvez séculos, os efeitos desse desastre; lamento pela fauna marítima que fatalmente será atingida quando a lama se espalhar pela água do mar.

Talvez jamais haverá uma recuperação total de tudo o que foi e está sendo destruído.

Mas, não basta chorar pelo que já aconteceu. Que esse episódio tão triste sirva de alerta. Para que não se permita que fatos como esse se repitam, mesmo havendo a absurda expectativa de que outras barragens da região venham a se romper. Alguém errou e errou feio por não evitar que o rompimento acontecesse. Houve, no mínimo, negligência.

Quantas outras tragédias podem ocorrer neste Brasil, que podem macular ainda mais nossa Bandeira?

Valdir Carleto