Dicas para encarar o Enem com tranquilidade

Por Tamiris Monteiro

Nos dias 5 e 6 de novembro, acontece o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). Em Guarulhos, há 46.348 candidatos inscritos e a aplicação ocorrerá em 41 instituições de ensino espalhadas pela cidade. No ano passado, foram 39 mil inscritos. É crescente o interesse em participar do exame porque, segundo o professor Wagner Vó, do cursinho Objetivo Vestibulares, cada vez mais estudantes veem no Enem outras oportunidades, além da chance de ingressar em universidades federais e em alguns cursos das estaduais. Uma delas é que, dependendo do resultado obtido, o aluno pode obter uma vaga em faculdades particulares de excelente qualidade, tendo o custo absorvido pelo governo federal. “Pelo ProUni, até vagas de medicina, como na faculdade do hospital Albert Einstein e na Santa Casa, estão ao alcance de pessoas que não poderiam pagar o alto custo desses cursos”, diz.
Sendo o Enem um exame de cujo resultado pode depender o futuro do estudante, a ansiedade pode atrapalhar até mesmo o mais gabaritado candidato. Não à toa a preparação para a prova envolve muito estudo e dedicação, foco nas disciplinas e nas revisões que antecedem uma avaliação. Mas o que nem todos os estudantes levam em conta é que a inteligência emocional também é essencial na hora da prova. Como encontrar a saída para uma questão difícil e administrar o tempo? Como lidar com o temido “branco”? Como controlar a ansiedade diante da enorme pressão que é um exame seletivo dessa importância? Esses são alguns dos dilemas pelos quais passam os participantes.
Um estudo realizado, em 2014, pela MindGroup evidenciou uma relação entre a ansiedade e o desempenho dos alunos na disciplina de matemática. “É natural que as pessoas fiquem ansiosas diante de situações de avaliação. A questão é como preparar-se para lidar com essa emoção e não deixar que ela atrapalhe o desempenho”, afirma a psicóloga e psicopedagoga Anita Abed, da Mind Lab.
Sendo assim, é importante que o aluno passe por um processo de autoconhecimento, com experiências reais que simulem a prova do Enem; dessa forma é possível fazer com que o estudante identifique os seus pontos positivos e negativos diante de determinadas situações e, a partir daí, perceba as melhores saídas para não comprometer seu rendimento.

Na hora da prova, recorra aos métodos metacognitivos

Baseados em teorias pedagógicas, os métodos metacognitivos auxiliam o candidato a encontrar as saídas de que necessita diante das situações adversas ou que o desafiem. Eles fazem parte de um programa criado pela Mind Lab para o desenvolvimento de habilidades socioemocionais em escolas. Pelo menos três deles são essenciais para o Enem. É o que ressalta a diretora pedagógica da Mind Lab, Sandra Garcia.
1 – Método do Detetive: na hora da prova, o candidato precisa ler e procurar as respostas como um detetive, ou seja, deve investigar a situação-problema por meio de perguntas pertinentes para produzir e descobrir pistas, dados e informações que possibilitam criar soluções. “Esse método vai lembrar o estudante de fazer boas perguntas para encontrar as respostas”, diz a especialista.
2 – Método da Escada: para chegar a uma solução, muitas vezes é necessário identificar etapas, o passo a passo da execução. Essa progressão, como em uma escada, auxilia a chegar à fase seguinte, mais próxima do objetivo final.
3 – Método do Semáforo: diante de uma situação de branco, em que o candidato não encontra solução para determinado problema ou diante de uma situação emocional adversa, a dica é lembrar do semáforo: “pare, olhe para a situação; pense, tome conta de suas emoções, de seus conhecimentos, recomponha-se; siga em frente com cuidado e atenção”.

Na sexta-feira que antecede o dia do Enem:

• Não estude matérias novas na última hora: o momento é de revisão e confiança no conteúdo que estudou durante o ano;
• Visite o local da prova antecipadamente, para criar familiaridade com a região e optar pelo melhor caminho, evitando o risco de se perder e, consequentemente, de chegar atrasado.
• Alimente-se bem: evite estimulantes – como café e guaraná – ou calmantes, pois tanto um quanto outro podem prejudicar a concentração no momento de prova;
• Durma bem. Ter pelo menos oito horas de sono é primordial para o descanso da mente.

Nos dias de prova:

• Não se esqueça dos itens básicos, sem os quais não é possível prestar o exame: RG, caneta esferográfica preta transparente e ficha de inscrição;
• Chegue ao local de prova antes do horário estabelecido. Os portões abrem às 12h e são fechados exatamente às 13h, seguindo o horário de Brasília; a organização não aceita atrasos, por menores que sejam;
• Leve apenas o necessário para o seu bem-estar, como água e barras de cereais para recuperar as energias durante a prova;
• Não se desespere no momento que receber a prova: comece pelas questões de matérias mais confortáveis para você.
• Reserve pelo menos 30 minutos finais para completar o cartão-resposta, já que no momento que o relógio indicar o fim da prova, as respostas já devem estar no cartão;
• Dedique tempo adequado para a redação: ela exige concentração e boa desenvoltura; o ideal é separar pelo menos uma hora para desenvolver o texto.