Digitação vintage

Com certeza, você já viu fotografias de escritores, jornalistas e demais profissionais do mundo das letras ocupados com uma máquina de escrever. Um deles, claro, é o ícone Ernest Hemingway (1899-1961), famoso escritor norte-americano. E quem diria que o nome de Hemingway iria inspirar o nome de uma máquina de escrever em pleno século… XXI. Pois bem, essa é a proposta da Hemingwrite, cujo visual é para lá de old school, mas o funcionamento é high tech.
O gadget tem, entre outros recursos, display e-paper – visor que simula uma folha de papel –, mais de um milhão (!) de folhas de memória, e conectividade com wi-fi e bluetooth, o que possibilita o armazenamento no Google Docs ou no app Evernote.
Para os fãs de plantão de produtos retrô, a Hemingwrite está em fase experimental e, por isso, ainda não está disponível para compra. Sendo assim, torçamos para vê-la em breve.