Dória mostra firmeza e conhecimento em entrevista ao Jornal da Cultura

O governador João Dória (PSDB) foi entrevistado pela âncora Joyce Ribeiro, no Jornal da Cultura, exibido pela TV Cultura na noite de sábado, 12.

Embora tendo tomado posse há poucos dias, demonstrou conhecimento de muitos problemas do Estado, abordando-os sem tergiversar. Mesmo descontando o fato de a emissora ser ligada ao governo estadual, ainda que seja por uma fundação, o que pode ter atenuado o tom das perguntas, Joyce Ribeiro, sempre desenvolta, tocou em temas delicados, como o fato de um dos secretários escolhidos por Doria, Gilberto Kassab, ter pedido licença antes mesmo de assumir, para responder a investigação da Polícia Federal, decorrente da delação premiada de executivos da J&F. O governador respondeu que espera que Kassab consiga demonstrar inocência, mas que se não o fizer não fará parte de sua gestão.

Joyce indagou sobre o que pretende fazer para elevar os índices de desempenho dos estudantes da rede paulista de ensino, que caíram em 2018, perdendo para três outros estados (ES-GO-PE). Dória respondeu ter muita confiança de que o secretário Rossieli Soares, que foi ministro da Educação no governo Temer, tomará as medidas necessárias para que São Paulo reconquiste a liderança em 2020.

Sobre a questão da segurança pública, foi enfático ao criticar os deslocamentos de presos para participar de audiências e julgamentos, muitas vezes distantes dos locais dos presídios. Citou Presidente Wenceslau como exemplo do desgaste de tempo e estrutura, envolvendo viaturas de escolta e policiais que deveriam estar no policiamento ostensivo.

Quanto ao corte de verbas que haviam sido definidas por seu antecessor, Márcio França (PSB), – como é o caso de Guarulhos, de onde anulou destinação de R$ 20 milhões – disse que tinha de fazê-lo, porque aquelas verbas não foram tratadas com a equipe de transição e que terão de passar por um estudo, caso a caso.

Sobre o que pode fazer para melhorar a situação de seu partido, respondeu que é fazendo uma boa gestão, mostrar trabalho; que não há outro jeito. E que fazer um bom governo é governar para todos e não apenas para os que o elegeram.

Enfim, mesmo tendo sido eleito por pequena margem, demonstrou porque conseguiu reverter o alto índice de rejeição: sabe muito bem lidar com as palavras e ser convincente diante das câmeras.

Se seu desempenho à frente do Estado corresponderá a essa expectativa é que se terá de conferir daqui a algum tempo.

Valdir Carleto

 

fotos: no destaque, reprodução do Facebook de João Dória; as demais, reprodução da tela da TV