Erros que destroem um currículo profissional

Por Luciano Leite

O sonho de conquistar uma vaga de emprego em uma empresa desejada ou apenas de conseguir uma recolocação rápida no mercado de trabalho muitas vezes é frustrado por algo teoricamente simples, mas de fundamental importância para qualquer profissional: a qualidade do currículo desenvolvido.

É importante lembrar que o currículo é uma forma de cartão de visita ou de carta de apresentação do profissional para a empresa que ele pretende “conquistar”. No momento em que a empresa recebe um currículo o profissional não está presente para esclarecer dúvidas, desfazer mal-entendidos ou acrescentar informações. Portanto, o currículo deve fazer o papel de porta-voz ou “propagandista” das qualidades e experiências do candidato.

Já um currículo mal elaborado pode enterrar as chances do profissional se apresentar pessoalmente para candidatar-se à vaga que almeja. Infelizmente, todos os dias centenas de currículos vão parar na lata do lixo, principalmente, pelos seguintes motivos:

  • Falta de dados pessoais

Parece incrível, mas ainda existem currículos que chegam as empresas sem dados pessoais fundamentais como idade, escolaridade, endereço ou telefones.

  • Excesso de detalhes irrelevantes

Por outro lado, é comum profissionais encherem o currículo com informações pouco valiosas como, por exemplo, informar a escola onde cursou o primário sendo que o profissional já é formado em uma faculdade. Ou citar um curso como “datilografia”.

  • Falta de objetivo profissional

Neste quesito existem currículos que pecam por não colocarem objetivo nenhum, como se a pessoa não soubesse o que pretende fazer na empresa ou para piorar aqueles que citam no campo objetivo “disponível para qualquer função”. Por mais que na cabeça do candidato esta disponibilidade possa ser verdadeira para as empresas indica falta de foco, de qualificação, de objetivo ou pior: tudo isto junto.

  • Objetivos incompatíveis com o perfil da empresa

Não pesquisar a empresa antes de enviar o currículo é um erro muito comum entre os candidatos à emprego. Este erro faz com que muitas vezes o candidato envie um currículo pleiteando um cargo que não existe na empresa.

  • E-mails inadequados ou pouco utilizados

Informar o e-mail para contato é comum atualmente, porém os recrutadores reclamam que muitas vezes o candidato menciona um endereço de e-mail, porém não tem o hábito de abrir a caixa de mensagens com frequência. Outro erro terrível é informar um e-mail em que o endereço seja composto por um apelido “engraçadinho” como “gatão”.

  • Erros de português ou linguagem inadequada

Um currículo cheio de erros de português geralmente indica o nível de educação do candidato. Isto faz com que muitas vezes a empresa descarte o currículo em virtude da necessidade do profissional que será contratado terá que comunicar-se com clientes. Outro erro mais grave é uma linguagem inadequada para o meio profissional: uso de gírias, linguagem da internet ou vícios de linguagem comprometem fatalmente a imagem do profissional.

  • Informações imprecisas ou desatualizadas

Por preguiça ou falta de conhecimento muitos profissionais dedicam pouco tempo para apurar as informações que constarão no currículo e também para atualizar informações sobre cursos realizados, metas alcançadas ou experiências profissionais.

  • Mentiras

Mentir nas qualificações ou experiências é um erro mais comum do que se imagina. Profissionais que não terminaram os cursos que mencionavam no currículo, não tiveram a experiência profissional que alardearam ou que tenham alcançado metas bem menores do que aquelas que foram mencionadas são as mentiras mais contadas.

Além de comprometer a imagem do profissional no mercado esta “estratégia” é cada vez mais facilmente desmascarada a partir de pesquisas que a empresa realiza durante a fase de recrutamento ou, em alguns casos, após o surgimento de dúvidas sobre a competência ou a idoneidade do profissional.

  • Experiências mal explicadas

Muitas vezes um currículo de um candidato bem qualificado para a vaga perde lugar para um profissional de menor experiência justamente em virtude da falta de informações precisas sobre os períodos dedicados em cada empresa ou das experiências acumuladas nestes empregos.

  • Hipervalorização das experiências ou qualidades

A confiança nas próprias virtudes e qualificações é algo desejado de qualquer tipo de profissional, porém o exagero na autoavaliação pode criar uma imagem de arrogância ou até dúvidas sobre a veracidade do que está sendo mencionado. Antes de enviar o seu currículo peça para outras pessoas avaliarem o tom que você adotou para falar sobre suas qualidades e seus feitos profissionais.

  • Excesso de páginas

Na grande maioria dos casos, um bom resumo de uma trajetória profissional pode ser construído em apenas duas páginas. Geralmente, apenas profissionais muito experientes necessitam de uma quantidade maior de páginas no currículo para descrever toda sua experiência. Para quem está iniciando ou tem pouco experiência uma página bem escrita é suficiente para elaborar um currículo consistente.

  • Descuidos na aparência do currículo

Um erro simples, mas que pode comprometer a imagem do profissional é o desleixo no “acabamento do currículo”. Folhas amassadas, impressões falhas ou borradas, xerox mal tiradas são alguns exemplos desta falta de cuidado com este valioso documento.

  • Versões criativas demais

Na ânsia de chamar a atenção dos recrutadores alguns candidatos apelam para versões “alternativas” de currículos. Uso de folhas diferentes para impressão, letras escandalosas e firulas visuais com certeza chamam a atenção de qualquer pessoa, porém também podem causar uma impressão diferente daquilo que está escrito no currículo.

Estas versões “criativas” são indicadas mais para candidatos de áreas criativas como moda ou publicidade. Na dúvida, faça opção pelo tradicional que também chamará atenção se o conteúdo for interessante para a empresa.

Não se esqueça que além de representar a sua experiência e suas qualificações o currículo também é a sua imagem diante da empresa que você quer conquistar.

Em tempos de currículo cadastrado diretamente no site das empresas muitas destas dicas também são válidas para não “jogar contra” a sua imagem profissional.

Em caso destes “currículos digitais” uma dica valiosa é avaliar que tipos de palavras-chaves devem conter no texto do seu currículo para que ele seja encontrado nas buscas que os recrutadores farão no banco de dados de currículos.

Pense nisto e boa sorte!