Foto: Bob Sousa

Escola Viva de Artes Cênicas
Teatro Padre Bento

Encontros com o objetivo de socializar informações a respeito dos percursos de grandes mestres das artes cênicas, a partir da necessidade do estudo das técnicas artesanais e da história da arte. A programação receberá artistas notáveis, que compartilharão não apenas informações acerca das suas obras, mas, principalmente, das suas trajetórias, do caminho que percorreram até chegarem ao seu momento atual. Com curadoria e organização de Calixto de Inhamúns. A primeira atividade da programação especial teve a presença do dramaturgo Luís  Alberto de Abreu. Estão confirmados para os próximos meses Rosi Campos, Umberto Magnani, Zécarlos Machado e Genézio de Barros. As atividades são gratuitas e abertas a quaisquer interessados, podendo ser agendados grupos. Duração: 3h. Indicação: 14 anos. Entrada franca. Informações: 2229-5043 ou escolaviva@guarulhos.sp.gov.br. Rua Francisco Foot, 3, Tranquilidade, às 19h.

O caminho do artista

Encontros com o objetivo de socializar informações a respeito dos percursos de grandes mestres das artes cênicas, a partir da necessidade do estudo das técnicas artesanais e da história da arte. A programação receberá artistas notáveis, que compartilharão não apenas informações acerca das suas obras, mas, principalmente, das suas trajetórias, do caminho que percorreram até chegarem ao seu momento atual.

A primeira atividade da programação especial terá a presença do dramaturgo Luís  Alberto de Abreu. Estão confirmados para os próximos meses Rosi Campos, Umberto Magnani, Zécarlos Machado e Genézio de Barros.

Por que cada um escolheu o seu rumo e como encaminhou a transformação dos seus sonhos em projetos? O que estudaram, o que leram, qual a colaboração da teoria e da prática na criação da sua obra?

Nas escolas de teatro, e no próprio fazer teatral, existem pessoas que buscam o efeito, o sucesso imediato, sem entenderem que a obra de um artista é a consequência dos estudos, erros, acertos e da persistência.

Parafraseando Mario de Andrade, existem três técnicas básicas do aprender de um fazer artistico: a técnica artesanal, a virtuosidade e a técnica pessoal. A técnica pessoal, além do talento que todos possuem em diferentes graus, é, e muito, resultante do aprendizado do artesanato – técnicas básicas existentes em quaisquer profissões – e do estudo da obra dos virtuosos, de como cada um, usando as ferramentas e técnicas da sua época, se tornou um artista com uma contribuição significativa para a sociedade.

Luís Alberto de Abreu
Dramaturgo, roteirista e professor de dramaturgia, Luís Alberto de Abreu é autor de mais de 60 peças teatrais encenadas, entre as quais Bella Ciao, A Guerra Santa, O livro de Jó, Um trem chamado desejo e o Projeto Comédia Popular Brasileira com 13 peças encenadas.Em cinema realizou, numa parceria com Eliane Caffé, o roteiro dos filmes Kenoma, Os narradores de Javé e Sol do meio-dia. Co-roteirizou, com Luiz Fernando Carvalho, a microssérie Hoje é dia de Maria, A Pedra do Reino, Alexandre e Outros Heróis e colaborou na roteirização de Capitu, veiculadas pela TV Globo. Fundou a Escola Livre de Cinema, de Santo André, onde foi professor de roteiro. Organizou e coordenou o núcleo de Dramaturgia na Escola Livre de Teatro de Santo André (SP) e no Galpão Cine-Horto, de Belo Horizonte (MG). Recebeu os prêmios Molière, Mambembe, APCA, APETESP, Panamco e Shell e teve peças encenadas na Inglaterra, Japão, Coréia e Rússia. Há mais de dez anos mantém parceria com o Grupo Balagan, tendo sido responsável pelas dramaturgias dos espetáculos Tauromaquia, Dies Irae, Recusa e atualmente colabora na criação do espetáculo Cabras. Dirige o grupo Narradores de Passagem voltado à pesquisa da narrativa e do narrador contemporâneo.

Calixto de Inhamúns
É dramaturgo, roteirista, ator, diretor teatral e formado também na Licenciatura em Artes Cênicas. Desde os anos 1970 exerce atividades didáticas com cursos sobre interpretação, análise de textos, interpretação e dramaturgia. Em teatro sempre desenvolveu seu trabalho dentro de grupos estáveis, sendo um dos fundadores do Grupo Mambembe e do Grupo Arteviva. Em 2014, escreveu, em parceria com Luis Alberto de Abreu, KARAMÁZOV, dirigido por Ruy Cortez, indicações para dramaturgia nos prêmios Aplauso e APCA. Em 2014, escreveu, em parceria com Luis Alberto de Abreu, KARAMÁZOV, dirigido por Ruy Cortez, indicações para dramaturgia nos prêmios Aplauso e APCA.

Bob Sousa
Um dos mais requisitados fotógrafos de teatro do Brasil. Pesquisador de teatro, autor do livro Retratos do Teatro, 2013. Colaborador do blog Atores & Bastidores, já publicou fotos nos jornais Folha de S.Paulo e O Estado de S. Paulo, revistas Bravo!, Veja São Paulo e Época São Paulo. Parte de seu acervo está disponível para acesso gratuito na página www.acervodigital.unesp.br, vinculada à Universidade Estadual Júlio de Mesquita Filho (Unesp).