Boato

O vereador João Darcio (PTN) fez questão de informar a todos os presentes na última sessão da Câmara que o ex-secretário municipal de Educação petista, Moacir Souza, não voltará para o cargo no caso de uma vitória de Eli Corrêa Filho no 2º turno das eleições. Segundo ele, tal informação é absurda e sem fundamento. Ao ouvir sua fala, Moacir, que estava sumido desde o início do 1º turno das eleições, pediu a palavra e disparou: “Estou estupefato. Isso é inimaginável”. De onde teria saído tal história?

Amigos do cara

O vereador Edmilson Souza (PT) ficou surpreso na 3ª feira de ver tantos vereadores discursando na tribuna do Legislativo como se fossem as pessoas mais próximas da face da Terra do candidato Eli Corrêa Filho. De acordo com o petista, esse clima de “já ganhou” entre os parlamentares e aliados do Democratas lhe causa estranheza, pois o 2º turno da eleição somente ocorrerá no próximo dia 30. Na verdade a campanha de Eli está sendo dirigida pelos caciques do DEM da Capital, com destaque para o deputado Rodrigo Garcia.

Provocação

Em relação ao boato desmentido de que o colega de bancada Moacir Souza seria o secretário de Educação de Eli Corrêa Filho, Edmilson contra atacou: “Ouvi dizer que em caso de vitória do DEM no 2º turno, a Secretaria Municipal de Segurança Pública continuará nas mãos de João Dárcio. Não deixa de ser uma continuidade do governo do PT”, alfinetou. João Dárcio, sem pestanejar, respondeu: “Pelo menos a cidade continuará segura”. Com essa resposta positiva, ao que tudo indica, Eli tem planos de colocar na ativa antigos secretários das gestões Pietá e Almeida caso venha a ser eleito prefeito.

Justificativa

Apesar de muitos militantes e simpatizantes do PT estarem discordando da posição do Partido dos Trabalhadores que pediu aos seus seguidores que anulem o voto e que não apóiem os candidatos a prefeito, Guti e Eli, no 2º turno, Moacir Souza, vice de Elói na chapa derrotada da sigla, explicou os motivos de tal decisão: “Um não mora na cidade. Participou do movimento golpista e votou a favor do impeachment de Dilma. O outro disseminou o ódio entre os guarulhenses criando um movimento anti PT na cidade. Não tem como defender nenhum dos dois”, afirmou. Mesmo com a surra que tomaram nas urnas de todo o país, parece que os petistas nunca mudarão o disco.

Dormindo com o inimigo

Mesmo não sendo um parlamentar de primeira viagem, o tucano Gilvan Passos vacilou ao anunciar durante a última sessão da Câmara que apoiaria Eli Corrêa Filho no 2º turno das eleições. Tendo como primeiro suplente do PSDB o experiente Geraldo Celestino, que não conseguiu a reeleição, sua fala caiu como uma luva para seus adversários, já que tal afirmação pública poderia se transformar imediatamente num pedido de expulsão da sigla por infidelidade partidária. Ao perceber a mancada, Gilvan correu nas redes sociais e disse que se confundiu na hora da fala trocando os nomes e que apóia “na realidade” Guti. Na sessão de hoje Gilvan deverá desfazer oficialmente o mal entendido.