Espalha Fatos – 07/10

Juntando forças

Depois do anúncio oficial da executiva municipal do PSDB que declarou na última 3ª feira apoio a Guti, ontem a tarde mais três siglas seguiram o mesmo caminho e indicaram preferência pelo candidato a prefeito do PSB no 2º turno: PMN, PROS e PTC. Norma Pozzani, Vitor da Farmácia e Toninho Magalhães trouxeram as informações por meio do uso da tribuna da Câmara e da postagem de vídeos em redes sociais.

Curiosidade

Sandra Tadeu, esposa do deputado federal e presidente estadual do Democratas, Jorge Tadeu, foi reeleita vereadora na Capital sendo a 13ª colocada da coligação DEM/PSDB/PSB e PP com 34.182 votos. Médica pediatra e sanitarista, formada em Itajubá-MG, antes de ser eleita vereadora em São Paulo nos pleitos de 2008 e 2012, já havia exercido dois mandatos legislativos consecutivos em Guarulhos. Também foi secretária de Saúde em Mairiporã.

 

“Tamo junto”! (sic)

O ex-vereador Eraldo Souza, presidente de honra do PMB Guarulhos enviou nota à imprensa declarando também apoio à candidatura de Guti no 2º turno das eleições. A decisão foi tomada pelas lideranças da sigla em reunião realizada na última quarta-feira. Estiveram presentes além de Eraldo, vereadora Verinha Souza, Amauri Diniz, e os ex-candidatos da proporcional Bombeiro Pitter, Zeca Romão, Maria do Xaxado, Maria Sobral, Manezinho, Sergio Salles, Herivelton Alonso, Thiago Jardim, Geraldão Abreu, Pastor Mario e Baixinho do Gás.

Situação financeira

Em audiência pública realizada ontem na Câmara, a Secretaria de Finanças da Prefeitura apresentou a avaliação das metas fiscais do 2º quadrimestre de 2016. O secretário André Castro divulgou que a receita orçamentária total da Prefeitura, no período de janeiro a agosto de 2016, foi de R$ 2,3 bilhões. Castro afirmou que, no mesmo período, a despesa liquidada do Executivo foi de R$ 1,9 bilhão. O Secretário explicou que a maior parte do orçamento é direcionada para a folha de pagamento dos funcionários.

Números

De acordo com o secretário de Finanças de Guarulhos, o gasto atual com pessoal na Prefeitura é de 47,99% da receita corrente líquida. Segundo ele, a partir de 48% entra-se numa faixa prudencial e é preciso tomar cuidado, pois o limite máximo é de até 54%. De todas as secretarias existentes, as de Educação e de Saúde são as que mais recebem do orçamento total: “Cerca de 55% do orçamento vai para essas duas Pastas. É o principal gasto e aonde estão as principais demandas também”, explicou André Castro.