Espalha Fatos de Sérgio Lessa – 11/01

Sem mágica

Assim que assumiu a Secretaria de Educação, Cultura, Esporte e Lazer, o co-prefeito Alexandre Zeitune se deparou com diversos problemas, sendo um dos mais graves a falta de professores para as salas de aula já no início deste ano letivo. Após um breve levantamento percebeu que aproximadamente 170 docentes estavam alocados em setores administrativos da pasta. Sem pestanejar, Zeitune determinou a imediata volta desses profissionais para suas classes, o que no momento resolveu o problema até que seja feita uma nova reestruturação.

Pingo nos is

Após 10 dias do novo governo, já deu pra perceber uma grande diferença entre o prefeito Guti e seus antecessores no modo de fazer política. Até a presente data, quem está dando o aval final em todas as situações para a contratação da equipe de governo é o próprio Guti. Nenhum secretário já nomeado, ou seja lá quem for, tem suas indicações ou rejeições atendidas se o prefeito não estiver da acordo. Guti está nomeando sua equipe um a um, em todos os escalões, após análise dos currículos técnicos e políticos. Não tem choro, nem vela.

Diferença brutal

No governo do PT dos últimos anos, cada secretaria municipal se tornou um feudo, graças a catastrófica frase do ex-prefeito petista aplicada: “quem ajuda a ganhar, ajuda a governar”. Isso queria dizer que cada apoiador do candidato do Partido dos Trabalhadores nas eleições, tinha direito a nomear de cabo a rabo todos os principais cargos das pastas herdadas, sem qualquer tipo de critério, a não ser o da política de apadrinhamento. Como conseqüência, Almeida não poderia ter tido outro resultado senão o de ser aclamado pela população como o pior prefeito que a cidade já teve em todos os tempos, implantando em Guarulhos o terrível governo “Tabajara”.

Esclarecimento

Os políticos e ex-vereadores que estão sendo convidados a participar do governo Guti, diferentemente do que muitos adversários tentam plantar nas redes sociais e internet, não estão ganhando nenhum presente. Todas as pessoas que estão sendo contratadas têm a obrigação de trabalhar e como o próprio prefeito eleito tem dito, “se não trouxerem os resultados esperados serão exonerados”. Essa afirmação vale para todo mundo. Sem falar que tais nomeações estão ocorrendo de forma individual, ou seja, acabou aquela história dos antigos pacotões da alegria.

 

Questão de boa vontade

O prefeito Guti em 10 dias no comando da cidade conseguiu aumentar junto à Sabesp a vazão de água enviada para Guarulhos. Bastou apenas demonstrar a intenção de pagar a dívida bilionária deixada por Almeida, que o Governo do Estado já acenou para melhorias no abastecimento. A meta do novo governo é que o município a partir de fevereiro, além de renegociar pra valer a dívida, pague mensalmente pelo menos o que consome, não deixando a bola de neve crescer ainda mais.