Estufa da Prefeitura triplica produção de flores e forrações

Bem diferentes nas cores, formatos e aromas, as flores e plantas rasteiras que compõem o paisagismo de áreas verdes da cidade, como canteiros, praças e parques da cidade têm algo em comum: todas elas são cultivadas na estufa da Prefeitura, no Cabuçu. No espaço de 500m2 localizado na altura do número 7.000 da avenida Dona Ana Diniz, atualmente são produzidas cerca de 1,5 mil mudas mensais de dracena, lírio, agapantos, lantana, vedelia, bromélias, agaves, clorofito, ametista, forração amendoim e grama preta.

A produção atual é três vezes maior do que a obtida em 2017, quando o local fornecia a cidade cerca de 6,3 mil mudas por ano. O melhor desempenho é resultado do trabalho de revitalização que vem sendo realizado desde o início da atual gestão, pela equipe da Secretaria de Meio Ambiente (Sema), que mantém servidores exclusivamente dedicados à estufa. Sete bolsistas do programa Bolsa Trabalho também trabalham no local, onde aprendem sobre plantio, espécies de plantas e manutenção de jardins e canteiros.

Com explica Wander Martins, chefe da divisão de Implantação de Parques e Praças da Sema, alta resistência é o principal requisito das espécies que enfeitam a cidade. “É necessário suportar poluição, sol forte, frio, além de mudanças climáticas abruptas. Outra característica muito importante é que a espécie exija baixo nível de manutenção”, explica.

Apesar de não receber visitação pública, está em estudo a abertura da estufa da Prefeitura para visitação de escolas, assim como já acontece em locais como o Bosque Maia e o Zoológico, que já oferecerem atividades de educação ambiental para crianças e jovens.