Explosão em Manchester é provocada por bomba caseira; EI assume autoria do ataque

A explosão ocorrida no show da cantora Adriana Grande, em Manchester, no Reino Unido, foi causada a partir de uma bomba caseira contendo peças metálicas. Já foram confirmados 22 mortes e 59 feridos no ataque na noite desta terça-feira, 22. Dentre as vítimas, menores de idade.

Após o termino do show da cantora, com um público de maioria adolescente, dois estrondos ocorreram do lado de fora da arena Manchester, enquanto milhares de pessoas deixavam o local, por volta das 22h35 (18h35, Brasília).

“Estávamos saindo, quando chegamos à porta houve uma explosão enorme e todas as pessoas gritavam. Foi uma grande explosão, dava para sentir no peito. Foi caótico. Todos estavam correndo e gritando. ”, relatou Catherine Macfarlane à agência de notícias britânica Reuters.

O grupo terrorista Estado Islâmico assumiu nesta terça-feira a autoria do atentado e afirmou que um “soldado do califado” colocou “muitos pacotes-bomba” em várias concentrações de “cruzados” na cidade britânica. A informação é da Agência EFE.

Segundo o chefe de polícia de Manchester, Ian Hopkins, foi utilizado um explosivo improvisado, já que após a explosão da bomba foram encontrados parafusos e pregos em sua composição.

O grupo jihadista afirmou que o ataque é uma “vingança da religião de Deus” e que tem por objetivo “aterrorizar os politeístas”, em referência aos cristãos. Também justificou como uma “resposta às suas agressões contra as casas dos muçulmanos”.

Após o ocorrido, a cantora decidiu cancelar suar turnê por tempo indeterminado. “Despedaçada. Do fundo do meu coração, sinto muito. Não tenho palavras”, afirmou Ariana em seu Twitter.

Nas redes sócias está circulando a hashtag #RoomForManchester em apoio as vítimas do ataque. Alguns vídeos foram divulgados mostrando o desespero dos espectadores e o auxílio da polícia e ambulância no local.