Por Talita Ramos

Educação e bom senso são fatores fundamentais para o convívio social harmônico. Na hora de frequentar festas e eventos, isso não é diferente; afinal, ninguém quer fazer feio, mas para quem não sabe ao certo como se portar em determinada situação, vale recorrer a algumas regras de etiqueta, para não passar vexame. “É válido sempre procurar informar-se sobre o estilo de vestimenta que é pedido, o tipo de jantar que será servido e sempre maneirar nas bebidas alcoólicas”, aponta a assessora de eventos do grupo W Prado, Ana Carolina Prado, a Carol.

Evento corporativo

Para um evento corporativo, a atenção deve ser redobrada, já que o mesmo envolve trabalho e seriedade. “Deve-se evitar ter certas liberdades com pessoas que não se conhece ou com quem não se tem intimidade. Não é por estar fora do ambiente de trabalho, que alguém pode se portar como se estivesse na roda de amigos do fim de semana. É de bom tom evitar beber demais. Ser pontual nunca cai de moda: então chegar atrasado não é conveniente”, alerta a assessora.

Evento social

Já em um evento social é possível ter uma postura um pouco mais leve, mas também vale evitar atrasos e exageros. “Para eventos sociais, continuo frisando a pontualidade. Quando for a um casamento, comparecer somente na festa e não na cerimônia não é educado. Na maioria das vezes, em eventos sociais as pessoas estão socializando com pessoas mais próximas, mas ainda assim, exagerar na bebida e falar e fazer o que não deve, não é de bom tom”, explica Carol.

Fotos

Recentemente, um fotógrafo australiano publicou no Facebook uma imagem que mostra um noivo se esgueirando para o lado, para ver a entrada de sua noiva, uma vez que o caminho dela foi obstruído por pessoas fazendo fotos com o celular. Fotografar um evento sem ser o fotógrafo oficial é um assunto delicado. “Antigamente em shows, por exemplo, não era permitido entrar com câmeras fotográficas, hoje em dia não é possível proibir, pois estas são acopladas ao celular. Para os eventos sociais, o registro fotográfico por parte do convidado está cada vez mais na moda, principalmente depois da invenção do termo “selfie”. Em alguns eventos corporativosm é até estimulado o uso de telefone para postar fotos em redes sociais, pois desta forma o evento acaba tomando fama e sendo divulgado de forma orgânica. Mas sempre é bom tomar o cuidado de se informar antes para não correr o risco de passar um carão ao solicitarem a exclusão da foto de seu aparelho”, opina Carol.

Erros

Segundo a consultora, alguns dos maiores erros que as pessoas cometem tanto em eventos corporativos quanto em sociais ocorrem em relação à vestimenta e à bebida. “Em ambos cabe o bom senso. Usar um vestido mais decotado e curto durante uma cerimônia religiosa, mesmo nos tempos de hoje, é tomado como falta de respeito e educação. Outro bom exemplo é o Black Tie, que corre na contramão do esporte; então não é de bom tom o homem vestir calça de sarja quando é pedido smoking”, afirma.

Dress code

A estilista Camila Macedo explica que na hora de escolher o que vestir para frequentar determinado evento, além do traje requisitado no convite, é necessário atentar-se ao local e horário da ocasião e se o ambiente é mais descontraído ou clássico. Para eventos corporativos, Camila aconselha que homens usem camisa e calça social. Já as mulheres podem investir em peças como um tailleur bem cortado, uma camisa de seda ou até mesmo vestidos estruturados com tecidos refinados. Em casamentos, deve-se evitar o uso de jeans. “Ir bem vestido a um evento significa prestígio para os anfitriões”, afirma Camila. Já em festas infantis é preciso usar o bom senso. “Festa infantil pede trajes mais confortáveis, pois o ambiente já é mais animado. Se a pessoa tiver filhos participando da festa, terá que se movimentar bastante; então, nada de roupas justas ou curtas”, indica a estilista. Na dúvida, vale investir no bom e velho pretinho básico, que funciona como peça curinga para qualquer tipo de evento.

lux-convite-casamento-zurique-p-aberto_zoom

Lista de convidados

Com os atuais avanços da tecnologia, muita gente tem deixado o convite tradicional de lado, aderindo às redes sociais para chamar pessoas a eventos. “Existem certas coisas que não devemos deixar de fazer. O convite formal é uma delas. É claro que há exceções. Se o evento for um churrasco no fim de semana para amigos mais próximos, é permitido criar um grupo no WhatsApp ou outras redes sociais”, defende a assessora. Além do meio pelo qual o anfitrião irá realizar o convite para determinado evento, outra preocupação é sobre como montar a lista de convidados. “Para eventos corporativos é preciso considerar para o quê foi planejado: se for algo interno para motivar equipe, é necessário convidar toda a equipe. Se for um evento para fornecedores e clientes, é necessário avaliar muito bem a lista, analisando quais são significativos e podem trazer bons negócios para a empresa. Para os eventos sociais, é necessário levar em conta a proximidade e intimidade com as pessoas, principalmente se for algo mais intimista”, afirma Carol.

De fora da lista

Outro dilema para quem monta a lista de convidados é em relação ao tato com os que ficaram de fora, já que muitas pessoas ficam chateadas quando não convidadas. “Esse assunto é bem complicado, porque se o dinheiro fosse infinito, os anfitriões convidariam todas as pessoas que conhecem, mas infelizmente não é. Logo, é necessário fazer cortes. Para casamentos e aniversários, costumam são cortados os tios mais distantes e amigos que não aparecem há vários meses. Então quem ficou de fora da lista deve pensar se tem convivido com o anfitrião. Magoar-se não vai resolver o problema. Rever atitudes e tentar ser uma pessoa mais presente vale e muito. Cobrar a falta do convite não é nem um pouco educado”, aconselha a assessora.

Recebendo bem

Bom comportamento não é esperado apenas dos convidados. Um bom anfitrião precisa saber como receber bem. “Como diz minha mãe: ‘o anfitrião é o último a comer e o último a beber, primeiro os convidados’. Quando você está recepcionando pessoas, o bom humor e a educação são primordiais; não deve haver cara fechada e reclamações. Faltar alimentos e bebidas também é desagradável; deve-se cuidar para que não falte. Os convidados precisam ser muito bem servidos. Mais uma vez: beber demais também não é agradável, o anfitrião deve receber e se despedir dos seus convidados com elegância, deve manter sua postura de anfitrião do início ao fim do evento”, diz Carol.

O momento da gravata

nvpv1zvuydzjjrow9arvEm festas de casamento, tradicionalmente amigos dos noivos arrecadam dinheiro para o casal, passando a gravata e o sapato de ambos, mas para algumas pessoas isso pode ser constrangedor; então é preciso maneirar. “O importante é não exagerar nas brincadeiras, lembrar que os convidados já investiram em presente, roupas, maquiagem e penteados para prestigiar os noivos. Dessa forma, não se faz necessário o uso de adesivos que remetam a pessoa a passar por ‘mão-de-vaca’, por exemplo. Nem sempre a pessoa tem condições de dar algum valor ou está prevenido com dinheiro no bolso, o que pode acabar constrangendo o convidado. Moderação é a palavra chave para o sucesso de um evento”, finaliza a assessora.

Grupo W Prado
Av. Doutor Timóteo Penteado, 2289, vila Hulda.
Tel.: 2229-6002
Atelier Camila Macedo
Av. Doutor Renato de Andrade Maia, 227,
Parque Renato Maia. Tel.: 2443-1849.

Matéria originalmente publica na Revista Guarulhos – 106