Fatec Pindamonhangaba cria aplicativo para reciclagem de materiais. E em Guarulhos?

Foto: Divulgação

Em parceria com alunos de outras faculdades, estudantes do CPS fundaram a startup Você Recicla, que conecta catadores a empresas geradoras de resíduos

Alunos da Faculdade de Tecnologia do Estado (Fatec) de Pindamonhangaba desenvolveram uma ferramenta que auxilia na coleta e destinação de resíduos para reciclagem. O aplicativo Você Recicla, concebido em parceria com estudantes de outras três universidades, já está em atividade no município, com a perspectiva de expansão para outras cidades do Vale do Paraíba no segundo semestre. 

A ideia inicial foi de Rodrigo Rocha, ex-aluno do curso superior de tecnologia em processos metalúrgicos. No início, o objetivo de seu grupo era criar um processo de certificação de sucata para que as cooperativas de reciclagem tivessem maior valor agregado de seus materiais. Porém, o projeto não ganhou força. “Depois que nossa primeira iniciativa não deu certo, identificamos demandas para propor modelos de negócio sintonizados com a sociedade. Assim nasceu o Você Recicla, que atende a essa demanda e oferece uma alternativa para o destino de resíduos no município”, explica o aluno Abner Augusto Barbosa, do curso superior  de tecnologia de gestão de negócios e inovação (GNI) da Fatec e um dos sócios do empreendimento, 

O projeto foi gestado na Escola de Inovadores, curso de extensão gratuito organizado pela Assessoria de Inovação do Centro Paula Souza – Inova CPS. A proposta dessa iniciativa é ensinar pessoas com espírito empreendedor a transformar ideias inovadoras em startups. 

Entre os objetivos do Você Recicla estão o uso da tecnologia para gerar oportunidades para catadores de materiais recicláveis e a redução do volume de resíduos destinados ao aterro sanitário diariamente. Para começar a utilizar o programa,  moradores de Pindamonhanga podem baixar o aplicativo e decidir o horário e local em que deseja ser atendido por um coletor. A partir daí, a ferramenta irá informar não usuário, em tempo real, o tipo de coleta (orgânica ou seletiva) e horário em que o veículo passará pelo endereço informado,. 

Reciclagem no Brasil

Para embasar a criação do aplicativo e o desenvolvimento do negócio, o grupo pesquisou a situação da geração e destinação de resíduos no Brasil. Segundo dados do Compromisso Empresarial para Reciclagem (Cempre), que reúne pesquisa sobre reutilização e coleta de resíduos, são reciclados apenas 3% dos resíduos gerados no Brasil, movimentando R$ 12 bilhões por ano na economia do País. Além disso, o mercado consumidor brasileiro é o terceiro maior gerador de resíduos, atrás apenas de Estados Unidos e Japão.

Você Recicla abriu o período para cadastro de catadores e outras pessoas que desejem complementar a renda por meio do recolhimento de materiais. O app está disponível para usuários de Android e também pode ser acessado pelo site www.vocerecicla.com.br

Reciclagem em Guarulhos

É muito precária a coleta de materiais recicláveis em Guarulhos. Há cooperativas de catadores e muitos condomínios mantêm locais para o recebimento desses resíduos. Porém, há dois fatores que inibem que maior volume seja reciclado: um é a falta de hábito das famílias de separar o que poderia não ir para o aterro sanitário; outro é a inexistência de coleta seletiva pelo poder público, mesmo nos bairros centrais.

Para mudar os hábitos, é preciso que se façam campanhas de esclarecimento, a começar com as crianças, nas escolas. Nos condomínios, as administrações podem incentivar a reciclagem como forma de gerar recursos e reduzir as taxas.

O funcionamento de um aplicativo como o desenvolvido pela Fatec de Pinhamonhangaba seria muito útil em Guarulhos para disseminar o costume de reciclar, desde que houvesse uma rede de coletores dispostos a retirar os materiais nas residências e estabelecimentos geradores.

Para quem já tem consciência da importância de reciclar, a alternativa é separar os materiais e levá-los aos PEVs (Postos de Entrega Voluntária) da Prefeitura, presentes em diversos bairros. Um obstáculo para essa prática é o não-funcionamento dos PEVs aos domingos e parcialmente aos sábados. A colocação de caçambas coletoras na parte frontal dos locais onde eles estão instalados seria uma forma de incentivar a população a dar o destino adequado a esses materiais, bem como a restos de construção, que acabam sendo jogados indevidamente em vias públicas.

Uma discussão que precisa ser feita é sobre o que fazer com telhas de amianto, que não são aceitas nos PEVs. Qual destino a Prefeitura sugere a quem precisa se desfazer delas? Quanto ao isopor, alguns PEVs vinham recusando o recebimento. Será que todos estão aceitando? Os dois questionamentos serão encaminhados à Subsecretaria de Comunicação da Prefeitura de Guarulhos.

(fonte: release do Centro Paula Souza, com adendo opinativo de Valdir Carleto)