Por Val Oliveira
Fotos: Marcelo Santos
e banco de imagens

Tão tradicionais quanto o panetone e o papai Noel são as festas de confraternizações nas empresas. Eventos dessa natureza colaboram para a união e a troca entre os colaboradores os diversos setores, reforçam a imagem da companhia e fortalecem o networking entre os funcionários. Além disso, é uma forma agradável da empresa agradecer pelos serviços prestados.

As dúvidas sempre aparecem, seja do lado da empresa na hora de organizar e promover o evento, seja dos funcionários, que não sabem exatamente o que pode, ou não, na “festa da firma”. Pensando nisso, ouvimos profissionais que vão ajudar a nortear a todos, para que a confraternização seja um sucesso. E, a partir dessa boa experiência, empresa e funcionários possam sair revigorados e motivados para encarar 2017 com muita coragem, boa energia e disposição.

Organização e planejamento

O primeiro passo é definir qual é o funcionário ou setor ficará responsável pela organização da festa ou da contratação de um organizador de eventos. “Normalmente, nas empresas de maior porte quem nos procura são os departamentos de Marketing e Comunicação. Reunimo-nos com diretores da área especifica para o evento e fazemos o planejamento de acordo com o que estão querendo atingir no evento”, diz Claudia Fioretti, da Dote da Noiva – Assessoria em Eventos Sociais e Corporativos.
Para Ana Carolina Prado, da Ewento Promoções e Eventos, “em alguns casos é imprescindível contratar uma empresa especializada no assunto, dessa forma não será colocado em risco o colaborador e nem a empresa, pois existem alguns pontos que não podem ser deixados de lado e o organizador de eventos é a pessoa que deve saber cuidar disso. Normalmente o departamento responsável pela organização do evento é o RH, é ele quem vai ajudar a desenhar o projeto e definir todos os pontos cruciais para o sucesso do evento”, detalha.

Estilo de festa

O momento é descontração e, portanto, dá para variar bastante na escolha do tema e aproveitar para deixar de lado algumas formalidades que o trabalho no dia a dia exige. Sim! Uma festa temática, de acordo com as consultoras, é uma opção bem interessante. É só deixar a imaginação fluir e definir o estilo da confraternização.

Espaço

Para decidir onde será a festa é preciso, antes disso, ter um número aproximado dos participantes, bem como se será servido, por exemplo, churrasco, coquetel, almoço, entre outros. Nesse quesito, pode-se até fazer uma pesquisa entre os colaboradores para ouvir sugestões. “Fica bastante simpático. Mas, não é nada anormal os próprios responsáveis decidirem levando em consideração o orçamento disponível para o evento”, fala Claudia.
Mesmo sendo um evento, conhecer o perfil dos frequentadores é determinante para o êxito da empreitada.
“Não existe um local especifico, existe o local certo para o público certo. Antes de fechar contrato com qualquer fornecedor é necessário mapear o público alvo daquele evento e montar o projeto. Normalmente o RH tem o perfil de seus colaboradores traçado. Nada deve ser feito no “achometro”, pois não dá pra fazer uma festa em que a atração principal seja o Kenny G para um público com idade média de 22 anos, por exemplo”, exemplifica Ana.

Música

Esse item precisa ser bem avaliado, uma vez que, dificilmente, os gostos musicais ficam entre um ou dois estilos. Sendo assim, ao organizar a lista de músicas, procure contemplar um bom número de gêneros e ritmos, principalmente os mais dançantes. Se preferir música ao vivo, contrate um cantor ou banda e instrua quanto ao repertório. Videokê e karaokê merecem atenção extra. “Quando você marca um happy hour entre amigos em um bar karaokê é muito válido, pois quem estará lá sabe qual a finalidade do encontro. Quando você faz uma festa de final de ano para seus colaboradores você tem todos os tipos de tribos, inclusive os que não sabem a hora de parar. Então, neste caso, por segurança, é melhor esquecer o karaokê e manter a música ao vivo”, pondera Ana.
“Como é uma festa descontraída pode perfeitamente ter um espaço reservado para os interessados nesse divertimento, só não pode ficar disponível o tempo todo da festa, pois a bagunça de uns pode incomodar e atrapalhar outros”, sugere Claudia.

festas-corporativas-2Cardápio

Comer e beber estão entre as atividades mais prazerosas para a maioria das pessoas. Fazer isso na companhia de amigos é ainda mais gratificante. Se a mesa for farta e a comida boa, é praticamente um êxtase. Atingir esse grau de satisfação começa com a escolha do cardápio, e o que servir depende muito do tipo de evento, do local escolhido e, fundamentalmente, da verba destinada para esse fim, mas há opções para todos os bolsos.
Quanto à bebida alcoólica, cabe à empresa disponibilizar o que achar conveniente, e ao funcionário compete policiar-se para não exagerar na dose e provocar uma “saia-justa”. “Se for um dia no sítio, é bacana algo mais informal com churrasco, bufê com saladas e frutas à vontade. Em uma balada, com música ao vivo para as pessoas dançarem, é melhor poder servi-las na pista. Então, aqui cabe muito bem o finger food – sistema de bufê em que os aperitivos são servidos e saboreados sem o uso de talheres – que atenda tanto quem está na pista, quanto quem está acomodado em mesa. Em um coquetel com música ambiente, na qual a principal atração seja a interação entre os colaboradores, o finger food também é uma boa alternativa. É adequado que a empresa opte por servir poucos tipos de bebidas. Não adianta servir cerveja, batida, uísque, espumante, vinho e ainda ter um bar de caipirinha, pois a diversidade é bacana, mas nem todo mundo sabe se controlar”, enfatiza Ana.

Amigo secreto

A realização do amigo oculto é uma atração que ajuda a descontrair o ambiente, além de movimentar e aglutinar a “galera” da firma em torno da festa antes mesmo do evento começar. Mas, a realização do amigo secreto não é indispensável, assim como a participação é facultativa. “Embora seja uma atividade agregadora, cabe decidir de acordo com o perfil dos colaboradores, também é necessário respeitar a individualidade e não forçar quem não quer participar”, pensa Ana.

festa-corporativaMarcando presença

Não assuma outros compromissos e reserve o dia da confraternização para realmente estar “de corpo e alma” no evento. Caso haja algum imprevisto que impossibilite sua presença, avise seus superiores. “É muito chato não ir ao evento. Pelo menos dê uma passada rápida para marcar presença”, expõe Claudia.
“É sempre bom estar por perto para ser lembrado, porém não é obrigatório participar de um evento fora do horário de trabalho. Dessa forma, é escolha do colaborador participar ou não, e a empresa não deve ver com olhos diferentes o colaborador que optar por não ir”, diz Ana.
Já a empresa pode usar o momento para uma análise mais profunda, a partir da adesão dos funcionários à festa. “Uma abstenção significativa deve ser levada em consideração e o motivo para isso deve ser mapeado e corrigido. Afinal, colaboradores felizes com o trabalho e com a empresa buscam participar de momentos de congraçamento”, resume a Master Coach e especialista em marketing pessoal Silvia Bez.

Convidados especiais

As regras de etiqueta dizem que não é de bom tom levar acompanhantes sem a permissão da empresa. Para a companhia é preciso considerar o objetivo pelo qual o evento foi planejado.

“Se for um evento para motivar a equipe, então é necessário convidar toda a equipe, sem exceções. Também é bacana convidar fornecedores e clientes significativos. Porém, avalie a proximidade”, diz Ana, informando também que, caso perceba que esse convite pode gerar “ciumeira” entre a clientela, prefira um momento apenas com os funcionários e faça outro evento só para quem tem relações comerciais com a empresa.

Cuidados com as crianças

Se a empresa permitir que funcionários levem os filhos ao evento, é indicado providenciar algum entretenimento para os pequenos, pois dificilmente eles terão paciência para ficarem sentados à mesa. “A responsabilidade de cuidar da criança é toda dos pais ou da pessoa que a levar à festa. Porém, para atendê-las é sempre válido contratar uma equipe de recreação, mas isso depende da quantidade de crianças que estarão no evento, pois menos de sete não é um número que justifique tal despesa”, indica Ana.

Comporte-se adequadamente e tenha só coisas boas para falar da “festa da firma” e dos colegas do escritório. Divirta-se!

Etiqueta

O clima informal do ambiente não pode ser motivo para que as pessoas cometam excessos. São muitos detalhes que podem “dizer” se você respeita e preza sua corporação e seus companheiros de trabalho. Fique atento ao vestuário, à maneira como se comporta, bebidas alcoólicas, piadas, brincadeiras e observações a respeito da empresa. Veja outras dicas:

“Chegar atrasado não é conveniente ou elegante; a vestimenta deve ser de acordo com o tema do evento; comportar-se com educação e bom senso, assim como em qualquer outro lugar; há empresas que fazem eventos somente para os colaboradores e há também aquelas que permitem a entrada de acompanhantes, porém é necessário esclarecer quem é elegível a acompanhante, se é somente cônjuge, se são cônjuge e filhos, mãe, pai, irmão e afins”, enumera Ana.

“Não se esqueça que você pode estar sendo observado por pessoas que você nem tem acesso no seu dia a dia, então, discrição é tudo de bom num ambiente assim; beber muito é uma falta muito grave. Não se pode esquecer que é uma confraternização e no dia seguinte todos voltarão ao trabalho e suas hierarquias e responsabilidades continuam. Se não sabe se cuidar, é melhor ficar na água e refrigerante, pois é um vexame e profissionalmente é lamentável. Nunca se esqueça que você está em seu ambiente de trabalho, que é de onde tira o seu sustento”, reforça Claudia.

Serviços

Aranttini restaurante

O cardápio contempla risotos, porções diversas, lanches artesanais, saladas, sopas e massas. Destaque para as panquecas portuguesas disponíveis nos sabores frango, filé bovino, linguiça defumada, peixe branco e vegetariano.
Rua Abraham Lincoln, 304, Centro.
2441-4285
Aranttini Restaurante

Cláudio Produções

Comandada pelo fotógrafo Claúdio Lima, a empresa produz foto, filmagem, clip de retrospectiva, telão, banner, quadro de assinatura, lembrança personalizada e totten.
Av. Tomás Edson nº 115 – Vila Moreira
2087-0181 / 2087-1097
www.claudioproducoes.com.br
Claudio Produções Foto e Video

Naha Festas

É uma das lojas mais procuradas quando o assunto é celebração. Oferece salgadinhos de vários tipos, lanches de metro e vários sabores de bolos.
Av. Salgado Filho, 1.507, Centro
2479-2244/2447-1572
www.nahafesta.com.br
Naha Festas Salgados

Salão Nobre

Espaço com infraestrutura completa para festas e eventos, como palco, camarim, parede espelhada, ar condicionado, sala para noivas e debutantes, estacionamento acoplado, oito tipos de iluminação, escada iluminada, pé direito alto e varada.
Av. Julio Prestes, 99, Torres Tibagy
2451-7577
www.salaonobregru.com.br
Salão Nobre (E. C. Vila Galvão)

KS Evento

Bufê completo para casamentos, noivados, confraternizações, aniversários, batizados e outros eventos. Entre as especialidades estão o churrasco, feijoada, comida de boteco e mineira, coquetel e coffee break.
4307-2312 / 94538-0633
www.ksevento.com
Ks Evento