Festival Poéticas da Dança reúne mais de 180 pessoas no Teatro Nelson Rodrigues

Com proposta beneficente, evento arrecadou diversas caixas de leites que foram doadas para as Casas André Luiz

Mais de 180 pessoas assistiram na noite desta segunda-feira, 6, no teatro Nelson Rodrigues, o I Festival Poéticas da Dança, evento que teve como objetivo apresentar o papel didático, artístico e, especialmente, social da dança no desenvolvimento da cultura como um todo.

Promovido pelo Colégio Simetria, instituição de ensino com mais de 20 anos de tradição em Guarulhos, e com direção artística de Gisele Caldeira, a produção teve montagem inspirada em obras musicais de diversas culturas, fortalecendo, assim, a perspectiva universal da poesia musical, tão importante para fortalecer os sentimentos.

As alunas dos ensinos fundamental I, II e médio da escola apresentaram danças como: “Estudo sobre Cheersleader”, dos EUA; Malhão, Malhão, música e dança da Cultura Popular Portuguesa; Kalinka, da Rússia; e “La Bastringue”, da cultura Canadense. Além disso, as estudantes dançaram “Samba Lelê”, tradicional canção da Cultura Popular Brasileira; e “Colombinas”, um Estudo sobre Ballet Clássico, Frevo e Carnaval, todas com coreografia de Gisele Caldeira.  

As duplas de bailarinos Hélder Souza e Angelita Germano e Fernando Mielo e Ana Rita Andrade trouxeram ao palco, respectivamente, Rock Soltinho e um Bolero Adaptado, ambos com a coreografia assinada por Fernando Mielo. Os dançarinos representaram as Casas André Luiz.  

O espetáculo também contou com a participação de artistas convidados, como a Escola de Dança Rita Camilo, que apresentou Shadowns (assinado por Gisleine Leite); Dama de Vermelho, dos bailarinos Ivo de Souza e Izabel Moreira (dirigido por Sandra Osti) e Família Martins, que representaram Timber (coreografia independente).

“Nosso objetivo foi proporcionar uma relação do público com o momento único do festival, apresentando aos presentes a poética do corpo. As coreografias elaboradas são resultado da inspiração musical e da ampla dedicação dos bailarinos, que levaram ao palco toda vitalidade e energia da dança”, explica Gisele Caldeira.

De acordo com Paulete Molinari, diretora do Colégio Simetria, “o projeto possibilitou trabalhar importantes habilidades com os alunos, como a relevância da música como expressão cultural, mas o grande diferencial dessa iniciativa, além da cooperação em projetos coletivos, foi a oportunidade de oferecer à Instituição André Luiz os alimentos recolhidos. A motivação pela causa fez toda a diferença”, conclui.

Para saber mais sobre o evento acesse: facebook.com/colegiosimetriaguarulhos.