Filho de Mário Covas é pré-candidato ao Senado pelo Podemos

O vereador por São Paulo Mário Covas Neto, filho do falecido governador Mário Covas, visitou na sexta-feira a Redação do portal Click Guarulhos, acompanhado do vereador guarulhense João Dárcio.

Covas trocou recentemente o PSDB pelo Podemos (ex-PTN), partido ao qual João Dárcio é filiado desde que ingressou na política. Indagado se o motivo de ter deixado de ser tucano teria a ver com o desejo de ser candidato ao Senado, Covas respondeu que não. Segundo afirmou, foi um dos fundadores do PSDB, mas entende que nos últimos anos o partido veio se distanciando dos ideais que levaram seu pai e outros políticos a lançar um novo partido, no final dos anos 1980.

Para ele, a participação de tucanos em atitudes condenáveis, envolvimento em atos de corrupção e a tomada de decisões de cima para baixo o levaram à decisão de deixar o PSDB: “A atitude nada tem a ver com postulação eleitoral. O PSDB já não é o mesmo que foi criado com um forte componente ético, que foi sendo esquecido. Muito triste ver membros do partido citados na Lava-Jato e em outras investigações. Resolvi sair, mesmo com o risco de perder o mandato, o que, felizmente, não aconteceu”, comentou.

Sobre a decisão do então prefeito João Dória de deixar o cargo para concorrer ao governo estadual, respondeu: “Dória esqueceu tudo que foi feito em benefício dele para conquistar a Prefeitura. Não dava para ficar em um partido no qual, se você não estiver alinhado a tudo, você está contra. Muito difícil para quem viu nascer o PSDB, como eu, viver esse momento triste”.

Quanto à escolha do Podermos, para a nova filiação, disse que foi uma decisão natural, pois chegou a cogitar não se filiar a nenhum outro partido, mas desejava fazer parte de um lugar onde pudesse se sentir bem: “O PTN, agora Podemos, tem uma concepção nova de fazer política, mais moderna, que é compatível com o que acredito. Importante frisar que em 2014 elegemos 4 deputados federais. E que, mesmo com as novas regras eleitorais, que dão mais recursos a partidos que elegeram mais parlamentares naquele ano, aumentamos a bancada para 18 deputados federais e 5 senadores”. Ele assumiu a direção estadual do partido; João Dárcio é o vice-presidente. A direção nacional é de Renata Abreu.

SENADO
Covas afirma que decidiu disputar uma vaga no Senado, por entender que está preparado para a função, graças às experiências que já teve, tanto no Legislativo, quanto no Executivo. Ele defende que o Senado não pode ser atrelado ao governo federal, precisa ter posicionamento político independente e não faz sentido ser um local de espera, atuando como mera ressonância do que é votado na Câmara dos Deputados. “O Senado precisa assumir sua responsabilidade na formulação de políticas imprescindíveis para o País. Os senadores têm funções indelegáveis e precisam exercê-las na plenitude”, afirmou.
Quanto às suas chances, respondeu que considera muito viável ser eleito. Serão duas vagas em disputa e o fato de seu partido, Podemos, ter Álvaro Dias como candidato a presidente pode ser benéfico. Covas entende que a candidatura Dias “tem tudo para crescer e ocupar o espaço do Centro, como via alternativa, nome novo, com experiência, passado limpo e boa postura”. Para o governo estadual, o Podemos apoia o governador em exercício, Márcio França (PSB).

ESTADUAL

O vereador João Dárcio disse que é pré-candidato a deputado estadual e que sua atuação no Legislativo e em duas gestões como secretário de Segurança Pública o credencia a concorrer e a exercer bem o mandato, representando Guarulhos e defendendo a cidade perante o Estado.