Fogo em veículo na Tiradentes: STT demorou a agir

Ontem, por volta de 18 horas, um carro sedan incendiou na Av. Tiradentes (Guarulhos), no sentido bairro, entre o Paraventi/Vila São Jorge e o Bom Clima. Felizmente, o motorista saiu a tempo e não houve vítimas. O Click Guarulhos noticiou primeiro (veja em https://bit.ly/2sEETIH).

Em minutos nossa Reportagem estava no local e cobriu o fato, com agilidade e amplitude. Veja o vídeo que fizemos, no momento em que os bombeiros chegaram, e, no fim da matéria, a sequência de fotos da ocorrência.

Bombeiros chegaram relativamente rápido, em cerca de 5 minutos. Porém, a STT (Secretaria Municipal de Transportes e Trânsito) demorou a agir.

Enquanto o veículo queimava, com labaredas altas, calor intenso e sucessivos estouros, que espalhavam fagulhas para todos os lados, o trânsito continuava a rolar na faixa bairro-centro, com veículos que trafegavam rentes ao carro sinistrado, alguns que chegavam quase a parar para observar. Inclusive, na mesma pista onde o sedan queimava, alguns motoristas e vários motociclistas arriscavam-se a passar ao lado.

Somente após a chegada dos bombeiros (aliás, quando quase já terminavam de extinguir o fogo), chegaram os “marronzinhos”, que apenas bloquearam e represaram o trânsito, nos dois sentidos.

Acredita-se que o mais sensato, além de interromper de pronto o tráfego de veículos, por segurança e para garantir o trabalho dos bombeiros, os agentes da STT já deveriam providenciar os desvios possíveis e orientar devidamente os motoristas.

Observamos, na esquina da rua Elias Acras com a Tiradentes, um motorista de ônibus perguntar a um agente o que acontecia e este responder que se tratava de veículo incendiado e que, se o condutor quisesse, ele poderia desviar pela rua Elias Acras. Se o motorista do ônibus assim o fizesse, talvez não soubesse mais à frente qual caminho seguir, pois a partir dali, para atingir a avenida Papa Pio XII e então voltar à Tiradentes, fora do perigo das chamas, seria preciso seguir pela rua Elias Acras até a rua Tabajara. Como nem todos conhecem os caminhos possíveis, além da rota principal, quem por acaso, optasse por entrar à esquerda na rua São Jorge terminaria encontrando uma sucessão de ruas estreitas para chegar ao destino pretendido, o que, para veículos maiores, poderia ser complicado ou até impossível.

Naturalmente, o ideal é que agentes em número suficiente e bem preparados estivessem a postos nas confluências daquela avenida e nas adjacências para informar e orientar os motoristas para os desvios possíveis e dirigir o tráfego.

Era hora de rush e, em geral, nesse período, a 500 metros do local, pouco mais, pouco menos, sempre há equipes da STT no cruzamento da Tiradentes com a Paulo Faccini ou próximo dali. Seria fácil (e rápido) que se deslocassem e tomassem as medidas cabíveis.

O que nos pareceu é que a STT foi surpreendida com o infausto acontecimento e não tem um plano de contingência para acidentes do tipo.

Consequência: em minutos o trânsito travou na Tiradentes, nos dois sentidos, o que rapidamente refletiu na avenida Paulo Faccini, sentido Macedo-Maia, até complicar no Centro, na rua João Gonçalves e paralelas. Um trajeto que se faz em cinco minutos demorou cerca de 40 minutos para mais.

Além desses transtornos a motoristas, transeuntes, passageiros de coletivos, que voltavam para casa ou iam para seus compromissos, houve o risco à vida dos incautos motoristas que continuaram a trafegar ao lado do veículo sinistrado.

A STT precisa prever contingências e elaborar planos adequados para atender ocorrências de quaisquer naturezas, com a previsão de rotas alternativas e postos de orientação e direção do tráfego. Além dos planos de contingências, é preciso treinar e equipar o pessoal para responder de forma rápida e eficiente a ocorrências de trânsito, leves ou graves, a qualquer momento e em qualquer local, mas, especialmente, no centro expandido e em horário de pico.

Enviamos nossas observações à STT, que em resposta, disse que os agentes de trânsito realizaram a interdição da via e o desvio dos veículos pela rua dos Maçons e posterior retorno para a avenida Tiradentes, pela avenida Papa Pio XII. A STT informou também que cada caso é analisado individualmente para a tomada de providências, que minimizem o impacto no trânsito.

Veja as fotos da ocorrência: